CIOs querem reinventar processos e sistemas com transformação digital, diz BT

HOME
0 0 Sem Comentários

“The BT CIO Report 2016 – The digital CIO” é a pesquisa global da BT, fornecedora de soluções e serviços de teecomunicações, conduzida pela Vanson Bourne, que abordou mais de mil executivos de TI em 11 países, incluindo o Brasil. O levantamento mostra que CIOs de todo o mundo estão abraçando a transformação digital para reinventar processos e sistemas de suas organizações.

O impacto digital é tanto que o nível de importância do CIO na diretoria continua a aumentar. Pouco mais de 70% dos entrevistados dizem que o CIO ganhou mais espaço na diretoria nos últimos dois anos, e 43% dos CIOs dizem que agora passam mais tempo lidando com questões corporativas.

Ao encontro desses resultados, a BT anuncia a sua recente campanha global, a “The Digital Possible”, que pretende dar aos CIOs instrumentos para que liderem as ambiciosas agendas de transformação digital nas grandes organizações em todo o mundo. A iniciativa da BT traz para o mercado uma enorme variedade de novos serviços digitais, que vêm responder, segundo a empresa, às necessidades identificadas na pesquisa.

“O ritmo da mudança digital está criando oportunidades para nossos clientes e elas exigem respostas rápidas. O papel do CIO digital é um dos mais complexos dentro das empresas”, diz Luis Álvarez, CEO da BT Global Services.

Ele acrescenta que as organizações precisam entender de tecnologia e de pessoas, e saber equilibrar controle e segurança com operacionalidade e velocidade. “Estamos bem posicionados como seu facilitador digital e comprometidos com o aumento dos investimentos em nosso portfólio Cloud of Clouds para que os CIOs possam descobrir e alcançar o seu próprio ‘Digital Possible’.”

O levantamento avalia que para o CIO torna-se um desafio encontrar tempo para desenvolver soluções criativas para o negócio. Para cerca de dois terços (61%) dos entrevistados, os CIOs passam mais tempo mantendo os atuais sistemas de TI do que procurando novas soluções.

Esse índice mostra uma queda em relação a 2014 – quando essa porcentagem era de 74%, – mas indica que, apesar dos objetivos de transformação digital, o CIO ainda tem que lidar com o legado.

O relatório 2016 também mostra que os CIOs estão atentos às tendências mais disruptivas da tecnologia – nuvem, mobilidade e colaboração, e dados. Segundo o estudo, 20% das organizações globais já estão totalmente centradas na nuvem, e mais de 46% têm na nuvem mais da metade de suas aplicações e infraestrutura.

Com o CIO atuando como um catalisador, 76% das grandes organizações em todo o mundo têm, ou planejam adotar, uma abordagem “multi-speed” para iniciativas lideradas pela tecnologia. Isso envolve mais criatividade, mais flexibilidade e um modelo operacional mais dinâmico. Segundo a pesquisa da BT, 65% dos CIOs notam mudanças rápidas nos KPIs do seu próprio desempenho, com uma tendência clara de colocar a transformação digital no centro de suas atividades.

Em 72% das organizações analisadas pela pesquisa da BT, existem grupos contratando e colocando em funcionamento produtos e serviços de TI sem envolvimento da área de TI da empresa. A pesquisa sugere que a área de TI cresce de forma mais confortável colocando-se no papel de oferecer as condições necessárias à habilitação de sistemas.

Tudo isso, de modo geral, principalmente no que toca à segurança dos dados, a infraestrutura adequada e robusta, garantindo a não-duplicidade de esforços em toda a organização. Essas novas responsabilidades estão na base do novo papel do CIO digital, que opera de forma horizontal, atuando em toda a empresa como um facilitador.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor