SAP anuncia resultados do primeiro trimestre de 2016

GestãoResultados
0 117 Sem Comentários

A SAP anunciou ontem (20) os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2016 com crescimento do Lucro Operacional em contraste com os principais concorrentes. A Nuvem foi o grande motor das receitas neste início de ano.

O rápido crescimento do negócio em Cloud foi responsável por um crescimento de 33%, que ficou acima das estimativas. As receitas não-IFRS de subscrições e suporte na Nuvem geraram receitas de US$ 771 milhões e as novas reservas na Nuvem alcançaram US$ 165 milhões, o que corresponde a um crescimento de 23%.

O total nas receitas de subscrições e suporte na Cloud e receitas de suporte de software foi alcançado 69% de quota do total das receitas no primeiro trimestre. As receitas de Nuvem e software foram 3,85 mil milhões de euros (3,65 mil milhões em 2015), um crescimento de 5%. As receitas não-IFRS na Cloud e software foram de US$ 4,38 bilhões  (4,16 bilhões em 2015), equivalente a um crescimento de 5%.

De acordo com a empresa, o bom desempenho de SAP S/4HANA continuou no primeiro trimestre com os clientes a abraçarem cada vez mais os benefícios de funcionarem de forma simplificada e em tempo real. A SAP acrescentou mais de 500 clientes SAP S/4HANA no trimestre, dos quais aproximadamente 30% são novos clientes SAP.

Na região EMEA, a empresa registou um de aumento de 8% em receitas não-IFRS de Cloud e software. As receitas não-IFRS de subscrições e suporte de Cloud cresceram 49% e houve um forte crescimento nas receitas de licenciamento de software.

Na América do Norte, a SAP  teve um começo de ano mais lento dado que no último trimestre de 2015 foi de crescimento muito acentuado.

Na América Latina, em particular no Brasil, a instabilidade política e macroeconómica afetou o desempenho da empresa no primeiro trimestre de 2016.

A empresa continua mantendo as seguintes perspetivas para 2016:

– Com base no forte e contínuo momento do negócio de cloud da SAP, a empresa espera um ano 2016 de receitas de subscrições e suporte na Nuvem não-IFRS na ordem dos US$ 3,35-3,47 bilhões (2015: US$ 2,61 bilhões).

– A empresa prevê que no final do ano de 2016, as receitas de Cloud e de software não-IFRS cresçam entre 6%- 8% (2015: US$ 19,60 bilhões).

– A empresa estima que o lucro operacional não-IFRS no final do ano de 2016 se registe entre os US$ 7,28 e US$ 7,6 bilhões (2015: US$ 7,22 bilhões).

“Toda a empresa está focada em fornecer as melhores soluções aos nossos clientes. O nosso pipeline é forte em toda a nossa oferta e estamos convictamente confiantes nas nossas previsões para todo o ano”, afirmou em comunicado Bill McDermott, CEO da SAP.