Entrevista da Semana: Data center está no centro da estratégia do mundo digital. Campo fértil da Tier4

Base de DadosCloudData CenterData StorageEmpresasFinançasGestãoGestãoNegóciosResultadosServidoresVirtualização

Sem dúvida alguma, os data centers passaram a ocupar de maneira mais imponente o centro das mais sofisticadas estratégias corporativas da era digital. Nele, mora a essência da protagonista da mobilidade, a mais do que conhecida cloud, a nuvem revolucionária da computação.

Com a sua expansão, evoluíram as empresas que botam a mão na massa para construí-los. É o caso da Tier4 Intelligent Solutions, companhia nacional de tecnologia, especializada em soluções para data centers. Ela é responsável pela construção desses centros de dados, desde a implantação da estrutura física com equipamentos, cabeamento, ar-condicionado, até videomonitoramento, ofertas de salas cofre, serviços de consultoria. No balcão da nova era, ela acena com imenso cardápio para todos os gostos nesse cenário digital, móvel e conectado.

Apesar de ser uma empresa jovem [fundada em 2011], tem uma vantagem especial: nasceu a partir da divisão de infraestrutura de TI da D2F Engenharia, companhia que atua no mercado de construção civil há mais de 20 anos. Nada é impossível para esse time.

“Por isso, possuímos uma equipe capaz de projetar e executar qualquer demanda necessária para a implantação de data centers”, dá a ‘carteirada’ Daniel Fazenda Freire, CEO da Tier4 Intelligent Solutions.

Com matriz localizada em São Paulo (capital) e fábrica em Alphaville (SP), a empresa já se movimentou além fronteiras e fincou uma bandeirinha em Bogotá, atenta ao bom momento da economia colombiana que finalizou 2015 com um aumento de 3,2% do PIB. E, de lá, já arrisca uma espiada no Panamá [colado na Colômbia], uma porta de entrada para a América Central, que pode proporcionar, em breve, um salto internacional ainda maior.

Enquanto uns recuam diante do cenário brasileiro pra lá de turbulento, a Tier4 avança na estratégia. “A crise serve como uma peneira. Os mais fortes permanecem e os mais fracos caem. Se você não se movimenta, as chances de não resistir são maiores”, diz Freire nesta entrevista exclusiva à B!T Magazine. Confira mais sobre a movimentação da empresa a seguir.

B!T Magazine – Construção de data centers hoje é crítico. Como a Tier4, ainda jovem, pode encarar essa ousadia? 

Daniel Fazenda Freire – A Tier4 possui ousadia, mas não no sentido de arriscar a dar um passo maior que a perna. A empresa nasceu a partir da divisão de infraestrutura de TI da D2F Engenharia, companhia que atua no mercado de construção civil há mais de 20 anos. Por isso, apesar de jovem, possuímos uma equipe capaz de projetar e executar qualquer demanda necessária para a implantação de data center. Mas, somos ousados porque apesar de já contarmos com um portfólio moderno, seguro e com um ótimo custo/benefício, sempre estamos em busca de inovação e melhorias em nossas soluções. Além disso, seguimos todas as normas exigidas pelo mercado. Todos os projetos são baseados nas melhores práticas e normas internacionais, a fim de realmente criar um ambiente preparado para missões críticas.

B!T – Qual é a solução coringa da Tier4? 

Freire – Em nosso portfólio, os maiores destaques são as soluções modulares. Entre elas, o Data Bunker – data center voltado a empresas de todos os portes e que apresenta uma série de vantagens técnicas. O produto possui controle de acesso por biometria, sistema de CFTV e monitoramento completo de condicionamento de ar, proteção e combate a incêndios e inundações. Está disponível em três tamanhos, com capacidade inicial entre 5 kVAs e 10 kVAs, podendo expandir até 50 kVAs. O equipamento permite ainda ser monitorado remotamente.

B!T – Como conseguem viabilizar a equação: qualidade + preço competitivo? 

Freire – Nós conseguimos proporcionar esse benefício aos clientes, pois possuímos em nosso portfólio soluções completamente nacionais que permitem custo mais competitivos e total disponibilidade de estoque, sem oscilação de fornecimento ou de preço.

B!T – A empresa lançou recentemente a sua sala-cofre. Qual a real demanda para esse produto no Brasil? Quanto investiram?

Freire – Nós não revelamos valor de investimento, mas no Brasil a demanda por um produto como a Sala-Cofre é forte e vem aumentando cada vez mais. Uma pesquisa do ano passado realizada pela Price Waterhouse Coopers (PWC) revelou que o investimento em segurança de dados cresce no País em um ritmo anual de  30% a 40%. Este fato ocorre, pois as empresas ficam vulneráveis a ataques na rede e os gastos com esse problema ficam em torno de R$ 20 bilhões. Ou seja, vale mais a pena investir na proteção das informações do que arcar com as despesas causadas pelo dano.   A Sala-Cofre possui o princípio modular, atendendo demandas de todos os portes de empresas.

B!T – A Tier4 é muito boa em …?

Freire – A Tier4 é muito boa em ajudar o cliente a definir a melhor solução para seu ambiente de TI. Para isso, entende a demanda que o mercado está necessitando e oferece de uma forma mais acessível e competitiva.

B!T – A Tier4 se diferencia da concorrência porque …

Freire – Nos diferenciamos da concorrência, pois além de fornecer ao mercado uma tecnologia de ponta também apresentamos soluções com reduções de custos significativas. Isso é possível porque possuímos em nosso portfólio soluções de micro até grandes infraestruturas e também a concepção, fabricação e implantação são totalmente nacionais, não temos os gastos de importações e exportações. 

B!T – Qual o maior sonho da Tier4? Ou já alcançou?

Freire – Estamos entre as melhores empresas do mercado de data center do Brasil. Esta é uma posição ótima, mas queremos ser a melhor. Portanto, ainda não alcançamos o nosso sonho, mas estamos trabalhando forte para alcançá-lo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor