“Investimentos em ciência e tecnologia têm de alcançar 2% do PIB”, defende Kassab

EmpresasFinançasNegócios
1 0 Sem Comentários

“Essa bandeira eu comprei e incorporei”, disse Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em encontro com membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) no Rio de Janeiro na semana passada. Ele anunciou ainda a retomada do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.

Kassab, defendeu na quinta-feira (16) que os investimentos públicos e privados em ciência e tecnologia se aproximem de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. “Tenho certeza absoluta, plena convicção, de que uma das principais atribuições e responsabilidades minhas será trabalhar para que a gente possa se aproximar, atingir ou estabelecer um cronograma, quem sabe até numa lei, para que os recursos possam se aproximar daqueles 2% do PIB colocado algum tempo atrás. Essa bandeira eu comprei e incorporei”, disse o ministro.

Segundo dados mais recentes da Assessoria de Acompanhamento e Avaliação das Atividades Finalísticas do MCTIC, os investimentos em ciência, tecnologia e inovação chegaram a 1,66% em 2013, 0,93% públicos e 0,73% empresariais.

Kassab destacou que efetivamente, nos últimos 60 anos, muito se avançou em organização da comunidade e conquistas do mundo da ciência brasileira. Mas, apesar de tudo, recentemente, por conta de circunstâncias da economia brasileira, foi registrada sensível queda no volume de recursos disponibilizados para a ciência. “Agora, cabe a nós todos juntos, não somente ao ministro ou ao ministério, trabalhar para que possamos não apenas reverter, mas retomar a curva de crescimento desses investimentos.”

Na opinião do ministro, o início da retomada deve ser a recomposição do orçamento de 2016. “E nós vamos nos empenhar muito porque, quanto mais nos recuperarmos nesse ano, mais fácil será começarmos a construir a curva de retomada do crescimento já no orçamento do ano que vem”, disse Kassab, reforçando a proposta debatida com diretores de agências e institutos de pesquisa do MCTIC no Rio de Janeiro.

“O governo está motivado, sensibilizado, convencido de que, nos últimos anos, a redução foi drástica. Então, a lição de casa número 1 é ir atrás desses recursos que perdemos”, ressaltou.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor