Panasonic vai deixar de produzir telas para TV

EmpresasNegócios

A Panasonic anunciou o fim do seu negócio de produção de telas para televisões, que será suspensa a partir de setembro. É uma divisão que não é rentável, algo que vai contra os planos da empresa nipónica para este ano.

De facto, a Panasonic anulou o objetivo de atingir os 90 bilhões de dólares em volume de negócios este ano e vai agora focar-se na rentabilidade. Para isso, precisa de fechar um segmento que nunca teve lucros desde que a produção começou, em 2010, na fábrica de Himeji.

A Reuters sublinha que esta decisão deixará a rival Sharp como única empresa japonesa a fabricar telas para televisões. Parte da transição já começou a acontecer, embora a produção só pare em setembro: algumas televisões da Panasonic já usam ecrãs de outras fabricantes, tal como a LG Display. A concorrência brutal de preços entre a fabricante japonesa e outras gigantes da Coreia do Sul e da China está por detrás da dificuldade de rentabilizar este negócio. Aliás, todo o segmento das televisões é altamente problemático no que toca a rentabilidade.

Ainda assim, a fábrica de Himeji, na parte ocidental do Japão, não irá encerrar. A instalação continuará a produzir telas para computadores de bordo em automóveis e equipamentos médicos. O que mudará é o volume da produção – de 810 mil unidades por mês para cerca de um quarto deste número.

A iniciativa da Panasonic foi bem aceite pelo mercado, já que os títulos da gigante fecharam a subir 3,6% na sessão de terça-feira da bolsa de Tóquio, segundo o jornal Nikkei.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor