PMEs superam grandes empresas em políticas de trabalho remoto

EmpresasMobilidadeNegócios

O estudo Way We Work Study, encomendado pela Unify, empresa do Grupo Atos focada em software e serviços de comunicação, entrevistou 5 mil trabalhadores do conhecimento de PMEs nos EUA, Reino Unido e Alemanha. Ele identificou que cerca de dois terços (60%) dos trabalhadores do conhecimento em pequenas e médias empresas (PMEs) já usam ferramentas sob demanda (tecnologias baseadas na Internet ou na nuvem) em seus trabalhos.

Esse número é maior do que o encontrado em companhias com 500 ou mais funcionários (53%), o que mostra a natureza ágil e voltada para o futuro daquelas de pequeno e médio portes. Trabalhadores do conhecimento, conforme definido no estudo, são funcionários cujo principal capital é o conhecimento para tomadas de decisões em empresa.

Os entrevistados querem grandes mudanças em seus postos de trabalho nos próximos cinco anos. Mais de um terço (38%) acredita que suas funções não existirão mais após esse período, e quase dois terços (64%) pensam que serão diferentes. Nesse ambiente de ritmo acelerado, confiança é essencial. A parcela de 76% dos trabalhadores do conhecimento nas PMEs sente que está sendo ouvida em sua organização, em comparação com 71% que estão em empresas maiores, o que sugere que elas estão bem posicionadas para se adaptarem no futuro.

A tecnologia está produzindo um enorme impacto sobre as PMEs. O e-mail ainda é visto como uma ferramenta essencial, com quase três quartos (70%) das pequenas e médias empresas classificando-o desta forma. No entanto, companhias desses tamanhos dependem dele menos do que as organizações maiores – com 80% das grandes empresas afirmando que o e-mail é fundamental.

Também há fortes evidências da maior consumerização da tecnologia nas empresas. Perto de dois terços (61%) das PMEs usam dispositivos particulares no trabalho, em comparação com menos da metade (47%) nas grandes organizações. Isso sugere que as pessoas querem trabalhar com equipamentos com que elas se sintam confortáveis estando fora do escritório, então, as pequenas e médias empresas precisam escolher ferramentas e aplicações de acordo com esta realidade.

“Não há nenhuma distância tecnológica considerável entre PMEs e grandes organizações. Em muitos casos, as PMEs são mais progressistas, já que são forçadas a fazer mais com menos, serem inovadoras e ágeis. Nosso estudo não mostra apenas os enormes impactos tecnológicos que estão acontecendo nesse setor, mas também o fato de as pequenas e médias empresas adotarem e integrarem a tecnologia em cada aspecto do trabalho”, diz John DeLozier, Gerente-geral de Canais da Unify para as Américas.

Ele acrescenta que o estudo Way We Work confirmou que as empresas em crescimento são mais abertas à tentativa de usar novas tecnologias. Também revelou que os trabalhadores do conhecimento estão definindo como, quando e onde trabalham, e as PMEs estão percebendo isso. “Para se manter competitivas, elas devem colocar seus profissionais na vanguarda, e a tecnologia é fundamental para que essa iniciativa tenha sucesso.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor