SUSE ajuda clientes a adaptarem-se às novas exigências dos dados

Software

A nova solução de armazenamento da SUSE reclama ser a primeira plataforma empresarial suportada baseada na versão Jewel do Ceph. O SUSE Enterprise Storage 3 encontra-se certificado em diversas infraestruturas, nomeadamente na nova solução de armazenamento de objetos da HPE.

A SUSE anunciou hoje o lançamento do denominado Enterprise Storage 3. O objectivo, diz a empresa, é ajudar os clientes na adaptação às novas exigências de dados e negócio, através de uma significativa inovação em TI.

“A mais recente solução de gestão de armazenamento com base em software inteligente da SUSE é a primeira baseada na versão Jewel do projeto de código aberto Ceph. Esta solução assegura aos clientes que são os primeiros a receber acesso facilitado, com suporte à inovação comunitária Ceph”.

A empresa alemã anunciou ainda que, juntamente com a HPE, está a disponibilizar uma solução de armazenamento de objeto escalável, baseada no SUSE Enterprise Storage, permitindo aos clientes gerirem efetivamente as necessidades de armazenamento de dados a uma escala massiva. Esta solução é suportada em servidores Apollo e ProLiant, otimizados para HPE.

“Levar esta inovação em armazenamento Ceph primeiramente ao mercado – totalmente suportada e preparada para empresas – torna os nossos clientes mais ágeis e passíveis de aproveitar as vantagens da inovação acelerada nas suas próprias empresas”, disse Michael Miller, presidente de estratégia, alianças e marketing da SUSE.

“O SUSE Enterprise Storage 3 permite que transformem a sua infraestrutura de armazenamento com a capacidade de adaptação a novas tecnologias, com recurso a hardware e infraestruturas de armazenamento redundantes, resilientes e eficientes”, acrescentou.

Por seu turno, Arun Chandrasekaran, vice-presidente de pesquisa da Gartner, e Julia Palmer, diretora de pesquisa na mesma empresa, defenderam que “os elevados custos de aquisição, manutenção e saída para as plataformas de armazenamento proprietárias estão a afetar os orçamentos de infraestrutura e operações e a comprometer o financiamento de novos projetos. Os principais benefícios do software open source são a liberdade, a inovação e a flexibilidade, com os custos como recompensa adicional”.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor