Accenture compra empresa de cibersegurança Maglan

CyberwarSegurança

A Accenture tem esta semana várias notícias relacionadas com a sua estratégia de cibersegurança. A consultora acaba de inaugurar o seu novo centro de Investigação e Desenvolvimento em cibersegurança em Tel Aviv, Israel. Ao mesmo, comprou a especialista na área Maglan.

A Maglan é uma empresa privada que se especializa em simulações de ataques online, desenvolvimento de soluções de combate à vulnerabilidade dos sistemas, análise forense e defesa contra malware, e ainda investigação e desenvolvimento de IT para segurança.

Esta aquisição traz para Accenture uma equipe de profissionais altamente especializados e competentes em matéria de cibersegurança, todos com grande experiência a nível global. Além disso, reforça a aposta estratégica da Accenture em potenciar Israel como um hub de inovação em cibersegurança. A ideia é garantir aos clientes uma oferta integrada de serviços de segurança e defesa de minimização dos riscos de ataques online.

“A crescente variedade e rapidez dos ciberataques de hoje em dia não pode ser eliminada com soluções standard predefinidas”, justifica Omar Abbosh, diretor de estratégia da Accenture. “A única solução é combater a questão da segurança na perspetiva do hacker. Por essa razão, estamos a desenvolver abordagens inovadoras com simulação de ciberataques, definição de modelos de ameaça e serviços de consultoria de risco”, acrescenta. A aquisição da Maglan, sublinha, vai permitir à Accenture estar melhor preparada para responder às necessidades dos clientes.

Já o centro de I&D em cibersegurança em Tel Aviv vai juntar-se à rede global de laboratórios tecnológicos da Accenture, que incluem os centros do Vale do Silício (Califórnia), Arlington (Virgínia), Sophia Antipolis (França), Dublin (Irlanda), Pequim (China) e Bangalore (Índia).

As instalações em Israel têm condições especializadas e exclusivas para que os clientes testem e desenvolvam abordagens inovadoras e disruptivas, procurando ajudá-los a melhorarem as suas capacidades de cibersegurança. Também apresenta uma combinação de áreas que promovem o trabalho de investigação e desenvolvimento de protótipos de última geração, permitindo o rápido desenvolvimento e teste de soluções.

“Esta inauguração representa mais um importante passo para a Accenture na área de Segurança. O novo centro vai beneficiar da nossa escala global e rede de parceiros em cibersegurança para fornecer aos clientes um acesso inigualável às diversas soluções no combate às ameaças, utilizando a inteligência artificial para identificá-los com precisão e eliminá-los rapidamente”, refere Lisa O’Connor, diretora geral da Accenture Labs e Security R&D.

“A nossa prioridade é capacitar os nossos clientes para resistirem às ameaças e ataques cibernéticos e conseguirem aplicar as ações corretivas mais rapidamente”, acrescenta, explicando que essa é a razão pela qual a consultora está a investir no ecossistema israelense.

O centro vai focar-se em projetos inovadores de I&D em cibersegurança relacionados com ameaças, defesa ativa e segurança da Internet das Coisas na indústria. Entre as tecnologias em destaque estão desenvolvimentos nas áreas de inteligência artificial, blockchain e analítica, disponibilizados pela rede global de laboratórios e centros de inovação de Accenture.

Christina Richmond, diretora de Programas e Serviços de Segurança da IDC, sublinha que os sistemas web e os dispositivos permanentemente conectados “criaram novos riscos ataques invasivos”, pelo que “as organizações não podem continuar a tomar medidas isoladas para melhorar a sua estrutura de segurança de TI.” A analista refere que a rede de laboratórios de cibersegurança da Accenture pode ajudar as empresas a “implementarem o melhor plano de segurança de TI.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor