Kaspersky Lab alerta para perigos de usar Wi-Fi durante viagens ao exterior

Segurança

De acordo com um estudo da Kaspersky Lab, a pressa dos viajantes em conectar-se à internet quando chegam ao destino, após uma viagem de avião, leva à utilização de redes Wi-Fi desprotegidas, o que coloca os dados pessoais em risco.

A pesquisa da empresa de cibersegurança foi realizada na Europa, Rússia, América Latina, Pacífico Asiático e EUA  e foram entrevistadas 11.850 pessoas. Uma das principais conclusões é que os inquiridos preferem conectar-se a redes desprotegidas em vez de ter de suportar o custo do roaming associado ao uso dos dados da sua operadora.

Quase metade dos inquiridos (44%) já está on-line quando sai do aeroporto e a maioria (69%) se conecta para avisar a família e as pessoas queridas que chegaram em segurança. Por outro lado, 39% dizem que se conectam para aceder a informações de viagem. A verdade é que hoje em dia os dados dos bilhetes de avião, translados, reservas em hotéis, guias e mapas estão on-line e isso faz com que cada vez, tenhamos mais necessidade de nos conectar à internet quando viajamos. A pressão do trabalho (38%) é outro fator importante, assim como o desejo de atualizar as mídias sociais (34%). Um em cada três usuários (34%) afirma simplesmente ser instintivo ficar on-line assim que possível.

Oito em cada dez pessoas (82%) se conectam a redes Wi-Fi desprotegidas, públicas e gratuitas nos terminais aéreos, hotéis, cafés ou restaurantes. Além disso, metade (50%) esquece que os dispositivos possuem informações pessoais e sigilosas. Quase um em cada cinco (18%) viajantes já foi vítima de um crime virtual longe de casa, enquanto 6% deles sofreram algum crime real.

A nossa vulnerabilidade também é maior porque quando estamos noutro país fazemos mais procedimentos on-line do que quando estamos em casa. Por exemplo, ao viajar para o exterior, 61% das pessoas tende a usar mais os serviços do banco pela internet e comprar mais on-line usando cartões de crédito (14%).

Eugene Kaspersky, CEO da Kaspersky Lab, declarou: “Eu viajo muito. Minha agenda de negócios engloba reuniões, conferências e negociações ao redor do mundo. Para mim, o normal é fazer mais de 100 voos por ano. E, claro, eu uso redes Wi-Fi públicas para acessar a Internet o tempo todo. A primeira coisa que faço depois de me conectar à rede é entrar em uma VPN (no meu caso, a VPN da Kaspersky Lab), e essa é a melhor precaução que recomendo a qualquer pessoa. Obviamente, também é preciso manter todos os softwares – inclusive o pacote de segurança – atualizado e não confiar em ninguém na Internet.”

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor