Entrevista da Semana: “Ganhar a confiança de equipes, clientes e parceiros, na transição para independência, foi o maior desafio”, diz VP da Veritas América Latina e Caribe

EmpresasGestãoNegócios

A Veritas Technologies deu uma guinada na estratégia de atuação em fevereiro deste ano, tornando-se uma empresa independente, liderada por um novo CEO, o Bill Coleman. Mas essa grande mexida no comando foi acompanhada de outras mudanças para reforço de competências com contratação e promoção de profissionais que certamente têm ajudado na oxigenação operacional com seus talentos nessa nova trilha.

Mas em meio a essa revolução estrutural, eis que surge uma figura feminina para assumir o cargo de vice-presidente da Veritas América Latina e Caribe, Lucia Bulhões. Na manga, trouxe mais de 20 anos de experiência na área de Vendas e passagens como diretora de Vendas da Symantec no Brasil e atuação em multinacionais como Dell e HP.

“Administrei a operação com foco na estruturação da empresa e na manutenção do entusiasmo das equipes em toda a América Latina e Caribe. O maior dos desafios foi na fase da transição entre a venda até o anúncio da independência, quando é necessário ganhar total confiança de equipes, clientes e parceiros”, diz a executiva.

Em um mercado de concorrência acirrada, ocupar essa posição, por si só, é desafiante, mas com o agravante de ser mulher. Ledo engano. É justamente essa a grande vantagem da executiva. Isso porque a trajetória profissional de Lucia conta com esse mix de sensibilidade e competência profissional.

Ela é engajada em atividades relacionadas a lideranças de mulheres no mundo corporativo, nas quais comandou mudanças estratégicas importantes nas empresas. E ainda arruma tempo para se dedicar a causas humanitárias, como na World Vision, ONG que desenvolve programas para atender crianças em regiões de risco.

É com esse diferencial que Lucia Bulhões lidera sua equipe e contribui para o crescimento da nova empresa de gestão da informação. Hoje, ela defende a atual estratégia da Veritas, centrada na confiança da  capacidade da empresa de resolver os desafios do crescimento exponencial de dados nas organizações.

Tudo isso, empunhando a bandeira do gerenciamento da informação, que considera ser uma habilidade chave para as companhias que buscam ganhar cada vez mais competitividade em seus mercados de atuação.

A empresa acena com software e serviços que possibilitem coletar, proteger, analisar e otimizar os dados para que as companhias possam tomar decisões inteligentes, gerenciar riscos e minimizar o crescimento das despesas. Uma movimentação que requer comprometimento e muita perspicácia. É o que conta Lúcia Bulhões nesta entrevista exclusiva à B!T Magazine. Confira.

B!T – É inevitável questioná-la sobre o fato de ser uma mulher nessa posição. Você considera uma conquista ainda maior por essa razão?

Lúcia – Sem dúvida, parece sim um lugar comum, mas chegar à frente de uma operação como a Veritas na América Latina e Caribe é uma grande conquista que ganha um sabor especial pelo fato de eu ser mulher. O setor de tecnologia da informação não tem muitas mulheres, mas eu creio que o número cresce a cada dia, principalmente em cargos de destaque. Isto é muito positivo! É muito importante continuar em busca de igualdade de condições para os gêneros. Ainda existe predominância masculina para grande parte dos cargos executivos e ainda há uma diferença salarial entre homens e mulheres que ocupam mesmas funções em muitas empresas. A forma como vejo o profissional está ligada aos critérios de competência, comprometimento, relacionamento.

B!T – Qual é seu maior desafio hoje em relação a contribuir para fortalecer o novo posicionamento da empresa na América Latina e Caribe e, claro, em especial no Brasil?

Lúcia – A prioridade para 2016 é aperfeiçoar os processos de negócios e agregar cada vez mais valor aos negócios de nossos clientes com nossas soluções. A Veritas já vem aportando um grande valor às organizações, permitindo que aproveitem todo o poder dos dados, garantindo que as informações e os aplicativos estejam prontos para se transformarem em poderosas estratégias para o negócio, e garantir o acesso aos usuários de forma simples e efetiva. Meu grande desafio é fazer com que mais empresas possam conhecer e se beneficiar dos nossos serviços e soluções.

B!T – No Brasil, quais setores são ou serão foco importante para atuação da Veritas?

Lúcia – A Veritas atua em todos os segmentos econômicos. Hoje, o foco da nossa atuação está nos setores financeiro, indústria, varejo, telecomunicações e governo.

B!T – Como a Veritas se diferencia da concorrência com suas soluções aqui no Brasil?

Lúcia – A Veritas Technologies é líder em gerenciamento da informação e trabalha com organizações de todos os tamanhos, incluindo 86% das empresas da Fortune Global 500, melhorando a disponibilidade de dados e revelando ideias para conduzir a vantagem competitiva. A companhia capacita as organizações a aproveitar o poder da informação, com as soluções de gerenciamento de informação que servem para os maiores e mais complexos ambientes do mundo.

B!T – Na era da nuvem, em que muitas organizações não têm data center próprio, e precisam de aplicações para ingressar ou evoluir na tão decantada “transformação digital”, a Veritas está preparada para atendê-las no mercado brasileiro?

Lúcia – Sem dúvida. O que as soluções Veritas promovem é exatamente ajudar as empresas a viverem essa transformação digital com eficiência na gestão dos dados, guardando o que é realmente necessário e descartando o que não gera qualquer impacto para o negócio. A nuvem pode ser, também, um meio das empresas acumularem mais dados sem valor. A Veritas está contribuindo para que as organizações realmente mantenham na nuvem somente o que precisa. Evitar uma explosão de dados também passa pela gestão eficaz do que se armazena na nuvem. A nuvem não pode ser encarada como a “a lata do lixo” para guardar de tudo, até o que nunca mais será acessado. Pesquisa recente da Veritas, em 22 países, incluindo o Brasil e o México, comprova que 85% dos dados armazenados estão no escuro ou são ROT (redundantes, obsoletos e triviais).

B!T – Considerando o mercado nacional em turbulência econômica, quais oportunidades você vislumbra a Veritas neste momento?

Lúcia – O que a Veritas oferece às empresas entra, exatamente, em redução de custos e maior eficácia administrativo-financeiro. As soluções Veritas ajudam as empresas a administrar melhor seus dados de forma que o investimento em infraestrutura e armazenamento possa ser reduzido. É uma visão inovadora de levar produtividade e gestão eficaz para as empresas.

B!T – Qual a importância de as empresas estarem capacitadas a aproveitar o poder da informação e como a Veritas pode ajudá-las?

Lucia – Vou responder com um dado de pesquisa da própria Veritas feito em parceria com a Vanson Bourne. Ou seja, US$ 650 mil ao ano é o gasto que uma organização de médio porte tem guardando mil terabytes de informações não-críticas. Não existe hoje na maior parte das empresas uma governança da informação. Creio que as organizações, mesmo no Brasil, estão despertando para essa consciência da gestão de dados seja pelo fator econômico-financeiro, seja pelos processos de compliance e governança corporativa que ficam cada vez mais rígidos.

B!T – Seu maior sonho na Veritas é…? Ou seja, onde pretende chegar no Brasil no segmento de gestão da informação?

Lucia – É ver a transformação do negócio dos clientes com as soluções Veritas. É ajudar, a cada dia, mais empresas a fazer a gestão eficaz de seus dados, investindo de forma inteligente em infraestrutura, e com visibilidade sobre os dados: o que são redundantes, obsoletos e quais e onde estão as informações valiosas para a companhia, e assim gerenciar acessos e priorizar. Para o Brasil e toda a região da América Latina e Caribe que dirijo, meu sonho é ver as organizações crescendo, inovando e fazendo gestão de dados, com total eficiência, usando as soluções Veritas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor