Hospital do Espírito Santo migra para nuvem com Brasoftware

CloudEmpresasNegócios

A provedora de tecnologia Brasoftware desenvolveu projeto inédito para o setor de saúde no estado do Espírito Santo. A Associação Evangélica Beneficente Espírito-Santense (Aebes), por meio do Hospital Evangélico de Vila Velha, tornou-se a primeira instituição desse segmento a migrar 100% dos e-mails e suíte de aplicativos para escritório para a nuvem com o Office 365 da Microsoft, sob o modelo de software como serviço (SaaS).

A Aebes é gestora de três importantes hospitais no Estado: Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV), Maternidade Municipal de Cariacica (MMC) e Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neve (HEJSN). O grupo conta com cerca de 2,8 mil funcionários diretos, número que aumentou nos últimos anos com o franco crescimento da instituição.

Esse crescimento motivou a necessidade de uma infraestrutura de TI de ponta para suportar a demanda. A adoção do Office 365 aconteceu para adequar os produtos e facilitar a administração do software de produtividade e mensageria, que ganhou segurança, alta disponibilidade, padronização dos aplicativos e agilidade.

“No início do projeyo, nossa necessidade principal era apenas a padronização dos produtos Microsoft utilizados pelo HEVV. Tínhamos diversas versões de programas diferentes e que não eram compatíveis. Nessa busca por soluções, visualizamos o Office 365 na nuvem como uma excelente opção”, diz Fabrício Fávaro, diretor de Tecnologia e Inovação do Grupo Aebes.

Ele acrescenta que a escolha pelo correio arquivado na nuvem foi uma enorme vantagem por se manter com a versão sempre atualizada, mediante contrato de licenciamento com a Brasoftware.

“Observamos a evolução do Grupo Aebes e visualizamos essa necessidade de crescimento também em infraestrutura de TI. A instituição abraçou a causa e se tornou pioneira no setor hospitalar com adoção de soluções Microsoft em nuvem”, destaca Gustavo de Paula, Gerente Regional da Brasoftware.

Uma das principais vantagens do projeto para a Aebes foi a padronização do correio eletrônico. “Criamos o domínio AEBES e os usuários foram centralizados por meio do nosso servidor no Exchange. Isso ajudou bastante, porque todos conseguem utilizar em qualquer uma das nossas unidades”, completa Fávaro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor