Mercado brasileiro de M2M deve chegar a US$ 259 milhões até 2021

Mobilidade

projeção da Frost & Sullivan é de que haja um crescimento médio anual composto de 13,5% ao ano até 2021 na receita média por linha, elevando esse mercado dos US$ 121 milhões registrados em 2015 para US$ 258,8 milhões em 2021.

Novas aplicações e serviços de valor adicionado devem fazer o mercado de comunicação entre máquinas (M2M, na sigla em inglês) voltar a crescer no Brasil. A projeção da Frost & Sullivan é de que haja um crescimento médio anual composto de 13,5% ao ano até 2021 na receita média por linha, elevando o faturamento desse segmento dos US$ 121 milhões registrados em 2015 para US$ 258,8 milhões em 2021. Os segmentos financeiro e automotivo devem representar 77,2% dos acessos M2M em cinco anos.

Para a consultoria, as aplicações tradicionais como máquinas de cartão de ponto de venda (PoS) e gestão e rastreamento de frotas devem continuar a dominar o mercado de M2M no país no médio prazo, mas com a expansão dos portfólios das operadoras móveis com novas aplicações M2M para o varejo, como carros conectados, personal care e casas conectadas, esse cenário deve mudar.

Solução verticalizada e que integram serviços fixos e móveis serão, segundo estimativas da consultoria, 35% das receitas globais das operadoras de telecomunicações até 2018.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor