Siemens cria TaxiBot pra tornar aeroportos mais sustentáveis

InovaçãoTecnologia Verde
0 20 Sem Comentários

A Siemens, em conjunto com o grupo francês TLD, a Israel Aerospace Industries e a Lufthansa LEOS, desenvolveu um rebocador diesel-elétrico – o TaxiBot – que evita que os aviões tenham de recorrer aos seus próprios motores para percorrer a distância entre hangares, terminais e pistas de decolagem.

A Siemens salienta que o uso dos motores das aeronaves é muito pouco econômico, uma vez que a circulação das aeronaves no solo consome até uma tonelada métrica de combustível, dependendo do tamanho dos aviões e da distância a ser percorrida.

Torna-se muito mais eficiente recorrer a um TaxiBot que se liga ao sistema de direção da roda dianteira do avião e o reboca até a pista de decolagem, onde só então são ligados os motores.

Após extensos testes, a Lufthansa passou a utilizar TaxiBots no aeroporto internacional de Frankfurt, medida que, de acordo com a linha aérea, permite poupar cerca de 11 mil toneladas métricas de combustível por ano.

A empresa explica ainda que os TaxiBots não só diminuem o consumo de combustível e respectivas emissões poluentes, como também reduzem o esforço mecânico sobre os motores dos aviões, aumentando desta forma os intervalos de manutenção. Além disso, são menos ruidosos que as turbinas a jato. O nível de ruído destes tratores-reboque é 50% inferior ao do avião quando se dirige à pista de decolagem. Incluindo o seu próprio consumo de energia, um TaxiBot para aeronaves de corpo estreito permite poupar até 150 quilos de combustível em cada viagem.

Atualmente os TaxiBots em serviço destinam-se ao reboque de aeronaves de corpo estreito (de corredor único), como o Airbus A320 e o Boeing 737. Contudo, o início dos testes com TaxiBots para aeronaves maiores, de dois corredores, como o Airbus A380 e o Boeing 747-400, está previsto para breve no aeroporto de Chateauroux, na França. Um TaxiBot deste tipo consegue economizar até uma tonelada métrica de combustível quando reboca um avião de corpo largo, cujo peso pode chegar a 600 toneladas métricas.

 

Rebocadores de avião acionados por motores diesel-elétricos híbridos

Os TaxiBots são veículos potentes — o modelo para aeronaves de corpo estreito tem uma potência de 500 kV de saída, enquanto o modelo para aeronaves de corpo largo gera cerca de 1 MW.

Estes tratores-reboque estão equipados com grupos motopropulsores constituídos por geradores, motores elétricos, conversores, eletrônica e software. Embora tenham por base o sistema de acionamento híbrido ELFA para automóveis, diz a empresa que estes componentes foram desenvolvidos ou adaptados especialmente para as necessidades dos TaxiBots, que exigem binários elevados e tempos de resposta curtos.

“Uma consideração importante durante o desenvolvimento dos TaxiBots era que os pilotos teriam de continuar a ter o controle exclusivo sobre um avião, conforme estipulado pela lei”, lê-se no comunicado enviado à imprensa.

Assim, quando o piloto aplica as travas do trem de aterragem, o TaxiBot responde dentro de 130 milissegundos e trava também, evitando qualquer esforço sobre a roda dianteira do avião.

O sistema de direção da roda dianteira do avião fica ligado ao TaxiBot por meio de um mecanismo de interface especial que regista todas as manobras de condução e de travagem do piloto, traduzindo-as em comandos para as rodas do rebocador. A Siemens também desenvolveu o software de comando das rodas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor