BlackBerry joga a toalha e abandona fabricação de aparelhos

EmpresasFinançasMobilidadeNegóciosSistema OperacionalSmartphonesTablets
0 0 Sem Comentários

John Chen, CEO da companhia, disse em conferência de divulgação dos resultados do segundo trimestre que todo o desenvolvimento interno de hardware será interrompido e a fabricação de aparelhos será terceirizada com parceiros.

A BlackBerry finalmente jogou a toalha. Há anos a empresa enfrenta problemas em seu negócio de telefones celulares. Tentou sem sucesso emplacar o sistema operacional BB10 apostando na segurança e no design que fez do BlackBerry um ícone na história dos aparelhos móveis e em 2013 chegou anunciar planos de fechar capital e ser vendida. A empresa também não logrou ganhar participação de mercado fabricando aparelhos com o sistema operacional Android e agora oficializa sua saída da fabricação de smartphones e tablets.

A decisão, já amplamente esperada pelo mercado, foi oficializada pelo CEO da BlackBerry, John Chen, durante a divulgação de resultados financeiros do segundo trimestre. Segundo ele, a BlackBerry interromperá todo o desenvolvimento interno de hardware para se focar unicamente em software e serviços.

“Estamos chegando a um ponto de inflexão em nossa estratégia. Nossa posição financeira é forte, e nossa guinada para software está se mostrando segura. A companhia planeja encerrar todo o desenvolvimento interno de hardware e terceirizar essa função com parceiros. Isso nos permitirá reduzir necessidades de capital e melhorar o retorno do capital investido”, justificou Chen.

O executivo detalha que no segundo trimestre a BlackBerry mais que dobrou a receita de software na comparação anual e conseguiu “as maiores margens da história da companhia”. Ele comemorou o início da entrega dos primeiros BlackBerry Radar, um sistema de rastreamento end-to end, e a assinatura de aliança estratégica de licenciamento do BBM com uma operadora da Indonésia. “A BlackBerry tem no BES12 o core de sua estratégia de software, mas outras áreas da companhia precisam ser alinhadas se ela quiser se tornar uma empresa de aplicações competitiva”, completa Chen.

A descontinuação da unidade de smartphones já havia sido sinalizada pelo CEO e a empresa agora se focará em sua suíte de softwares para o mercado corporativo (BES12) e em segurança móvel.

Resultados

A BlackBerry amargou um prejuízo de US$ 372 milhões no segundo trimestre, uma degradação significativa, já que no mesmo período de 2015 a empresa havia conseguido lucro de US$ 51 milhões. As receitas também caíram mais de 33%, para US$ 334 milhões ao fim de julho – com software respondendo por 44% desse valor e serviços, por 26%. Hardware significou apenas 30% da receita.

Com a descontinuação da área de hardware, a expectativa da BlackBerry é conseguir um crescimento de 30% em software e serviços para o ano fiscal e reduzir o prejuízo da empresa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor