Brasil perdeu 5,24 milhões de linhas móveis no primeiro semestre

MobilidadeOperadorasRedes

País fechou julho com um total de 252.573.841 de acessos móveis ativos, um recuo de 2,03% em relação a dezembro de 2015. Os números são um claro reflexo da recessão que vive a economia brasileira: base de pós-pagos perdeu 7,12 milhões de linhas enquanto o número de linhas pré-pagas: subiu 1,88 milhão de acessos.

O setor de telefonia móvel já acumula perdas de 5,24 milhões de assinantes nos primeiros seis meses de 2016, um recuo de 2,03% em relação a dezembro do ano passado, encerrando o mês de julho com uma base de 252.573.841 acessos – eram 257,8 milhões em dezembro último, segundo dados divulgados nesta terça, 5, pela Anatel.

Os números são um claro reflexo da recessão que vive a economia brasileira: o encolhimento do mercado de telefonia móvel foi puxado pela perda de 3,86% da base de celulares pós-pagos (um total de 7,12 milhões de linhas). Por outro lado, aumentou o número de linhas pré-pagas: 1,88 milhão de acessos ou 2,57% a mais que em dezembro de 2015.

Grupos operadores

Quem mais perdeu clientes foi a TIM. A operadora, que em dezembro tinha 66,23 milhões de clientes, perdeu 2,65 milhões de assinantes e fechou o primeiro semestre de 2016 com 63.584.461 acessos. Depois veio a Claro, com perda de 1,96 milhão de linhas (-2,97%), fechando julho com 64.019.105 de acessos. A Oi perdeu outros 789 mil clientes (-1,64%), 47.271.679 de base em julho; e a Nextel, 39,6 mil clientes perdidos (-1,58%), fechando julho com 2.467.895 clientes.

A maior das quatro principais operadoras móveis (em número de acessos), a Vivo, foi a única que cresceu: alta de 0,15% em relação a dezembro de 2015, conquistando 113 mil novos acessos e encerrando o semestre com base de 64.019.105 assinantes móveis.

Das demais operadoras, quem não cresceu conseguiu se manter estável no período. Destaque para a Datora, que cresceu 69,49% e fechou julho com base de 72,9 mil acessos, 29,9 mil a mais que em dezembro de 2015. A CTBC aumentou sua base em 32,2 mil assinantes, crescimento de 2,48%, encerrando julho com 1.330.480 acessos. A Porto Seguro cresceu 4,5% e agora tem base de 367.396 acessos (15,83 mil a mais); enquanto a Sercomtel cresceu 9,76% (6,3 mil linhas adicionadas) e fechou julho com base de 71.284 acessos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor