OTT bypass causa prejuízos de US$ 3 bilhões ao ano às teles

AppsMobilidadeNegóciosOperadorasRedes

Fraudes de terminação de chamadas usando apps como WhatsApp e Viber são estimadas em US$ 1 milhão ao mês por operadora em nível global. E a tendência é de que esses valores aumentem.

Fraudes que utilizam aplicativos OTT como WhatsApp e Viber para a terminação de chamadas que têm início numa rede tradicional de telefonia (PSTN) estão deixando um rombo de aproximadamente US$ 3 bilhões nos caixas das operadoras em todo o mundo, segundo dados da Communications Fraud Control Association. Isso significaria perdas de US$ 1 milhão ao mês por operadora de telecom em nível global e a tendência, segundo a fornecedora britânica de soluções anti-fraude Revector, é que esses valores aumentem ainda mais.

Diferentemente das chamadas in-app, que têm sua origem a partir do próprio aplicativo, o OTT bypass se origina como uma ligação convencional, de um número de telefone para outro, mas a chamada acaba sendo roteada para ser atendida num aplicativo, como o WhatsApp e o Viber.

De acordo com o especialista em fraude global e CEO da Revector, Andy Gent, OTT bypass atinge tanto operadoras fixas e de longa distancia quanto operadoras móveis. No Paquistão, por exemplo, testes da Revector indicam que mais de 45% das chamadas estão sendo desviadas para terminação em aplicativos. Segundo ele, “Empresas OTT estão vendendo ativamente minutos de terminação de chamadas no mercado. Isso engana não apenas o destinatário da chamada a pensar que está recebendo uma ligação pelo aplicativo OTT, mas também tira receitas do provedor de serviço (teles) e impostos do governo”. E alerta que esse dinheiro desviado dos operadores significará menos receita para manutenção de redes.

A fraude de OTT bypass foi identificada pela Revector na Ásia, na África e na Europa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor