Receita de Cloud cresce 61% no trimestre e impulsiona resultados da Oracle

CloudFinançasNegócios

Com receitas de US$ 986 milhões, o desempenho das linhas de cloud SaaS (software como serviço), PaaS (plataforma como serviço) e IaaS (infraestrutura como serviço) compensaram a queda contínua do negócio de hardware da Oracle.

A Oracle fechou seu primeiro trimestre fiscal de 2017 com uma receita total de US$ 8,6 bilhões, 2% maior que igual período do ano anterior. Desconsiderando-se a variação cambial, o crescimento teria sido de 3% no período.

O que chama a atenção no balanço financeiro da Oracle é o excelente desempenho do segmento de cloud, que cresceram nada menos do que 61,1% na comparação anual entre trimestres e somou US$ 986 milhões. A nuvem ainda representa apenas 11,4% das receitas totais, mas estão compensando o declínio nas receitas da tradicional área de hardware da Oracle.

As receitas de SaaS (software como serviço) e PaaS (plataforma como serviço) cresceram 80,3% na comparação anual, para US$ 815 milhões. IaaS (infraestrutura como serviço) cresceu bem menos, 7%, para US$ 171 milhões.

A venda de licenças on-premise caíram 0,4%, mas esse ainda é o maior segmento da Oracle, com receitas de US$ 5,82 bilhões – ou 67,6% das receitas totais. As receitas de harware caíram outros 11,8%, para US$ 996 milhões. As receitas com serviços também se reduziram, 6,3%, para US$ 808 milhões.

O lucro líquido ficou em US$ 1,8 bilhão, enquanto não-GAAP ficou em US$ 2,3 bilhões. A expectativa para o segundo trimestre fiscal é de um crescimento entre 0% e 3% em receita, com SaaS e PaaS aumentando entre 78% e 82%.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor