SpaceX apresenta seu sistema interplanetário para colonizar Marte

CiênciaInovação
0 0 Sem Comentários

Elon Musk, criador e CEO da empresa espacial SpaceX, apresentou ontem seu grande plano para levar humanos para Marte. É um projeto de longo prazo, destinado a garantir que a raça humana se torna interplanetária.

O CEO falava durante a Conferência Astronáutica Internacional, em Guadalajara, México. A expectativa era grande e Elon Musk não desapontou, revelando a nave que levará os primeiros humanos ao planeta vermelho.

A designação é Sistema Interplanetário de Transporte (ITS, na sigla inglesa), com 122 metros de altura e duas “asas” com painéis solares, para aquisição e geração de energia.

O objetivo, disse Musk, é criar uma colônia auto-sustentável em Marte, com um milhão de pessoas. Algo que poderá demorar entre 40 a 100 anos, admitiu o executivo.

“O que eu quero conseguir aqui é fazer com que Marte pareça possível”, disse Musk na abertura de sua apresentação. A ideia é criar uma “cidade” em Marte em que humanos possam viver, apesar da radiação e da falta de oxigênio. O custo de ir, com métodos tradicionais, é de US$ 10 bilhões; Musk quer reduzir para US$ 200 mil.

O ITS pode carregar até 100 toneladas de carga, e a SpaceX calcula que possa levar 100 pessoas de cada vez. A viagem demora dois anos, e para chegar em uma colônia de 1 milhão serão precisos 10 mil voos espaciais. A empresa aponta para uma frota de mil naves.

As viagens deverão começar de forma continuada em 2022, avançou o executivo. Apesar de otimista, Musk não escondeu que esse é um empreendimento de alto risco, muito custoso, e que os primeiros humanos que viajarem terão de estar cientes do enorme perigo de morte. Por isso, ele próprio não sabe se estará numa dessas naves. Não só porque quer ver seus filhos crescerem, mas também porque receia que, sem ele, os investidores acabem dizimando os planos da empresa em nome do lucro e não com Marte em mente.

“Eu estou juntando todos esses ativos para poder investir nisso”, garantiu. O financiamento, espera ele, virá de parcerias público-privadas em todo o mundo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor