Tecnologia do Rio 2016 projeta PyeongChang 2018 e Tóquio 2020

Inovação
0 0 Sem Comentários

O desenvolvimento tecnológico realizado pela Atos no Rio 2016 será usado para a transformação digital dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de PyeongChang 2018 e de Tóquio 2020. A empresa já está trabalhando nas próximas competições.

A Atos foi responsável pela gestão e disponibilização das infraestruturas de TI dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016, considerado os mais digitais de sempre. Como parceiro global de TI do Comité Internacional Olímpico (IOC) e do Comité Internacional Paralímpico (IPC), a Atos implementou e assegurou o funcionamento dos sistemas de TI que permitiram compartilhar, em tempo real e à escala mundial, os  resultados junto dos órgãos de comunicação social e dos adeptos, bem como suportar o recrutamento dos voluntários e a emissão das acreditações de todos os participantes, incluindo jornalistas e atletas.

Agora, a equipe de TI da Atos já está trabalhando PyeongChang, onde decorrerão os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, levando os desenvolvimentos conseguidos no Rio.

Os sistemas que materializarão os resultados dos Jogos Olímpicos de Inverno já foram fornecidos e estão em testes. Com base no sucesso alcançado no Rio, os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang serão os primeiros a ter todos os sistemas de TI na cloud, fato que altera por completo o paradigma tecnológico dos Jogos Olímpicos.

Para suportar os Jogos de Tóquio 2020, que se realizarão dentro de menos de quatro anos, a Atos anunciou que os primeiros membros da sua equipa chegarão ao Japão antes do final desse ano e que serão chefiados por Michele Hyron. Os jogos de Tóquio 2020 serão a décima edição dos jogos Olímpicos para Michael, e a sua 3ª como Chief Integrator. Michele chefiou a equipa da Atos em Londres e no Rio, e irá contribuir com sua  experiência em Tóquio para aumentar o nível de transformação digital dos Jogos e melhorar a experiência para os atletas, adeptos e mídia.

“A tecnologia desempenhou um papel crucial nos jogos do Rio 2016, e com a utilização das tecnologias digitais – incluindo a cloud e a análise dos dados, esta edição dos jogos olímpicos representou um grande avanço na forma como é feita a implementação e a utilização da tecnologia, e irá influenciar tudo o que se fizer a partir de agora,” afirma Patrick Adiba, vice-presidente executivo de Vendas, Olimpíadas e Grandes Eventos da Atos. “Ao suportar a transformação digital do IOC e do IPC, estamos contribuindo para melhorar a experiência de todos os envolvidos, ao mesmo tempo que asseguramos a redução dos custos e contribuímos para fortalecer o desempenho operacional.”

TI dos jogos do Rio 2016 em números

1 – Foi a primeira vez que se usaram serviços cloud nos Jogos de Verão para alojar o Portal dos Voluntários, os sistemas de acreditação e os sistemas de gerenciamento dos funcionários, reduzindo custos e melhorando os níveis de eficácia e flexibilidade da gestão e supervisão dos dados em tempo real.

– Foi o número de novas modalidades desportivas incluídas:o golfe e o rugby de 7 nos Jogos Olímpicos, e a Canoagem e o Triatlo nos Jogos Paralímpicos.

37 – Número dos vários locais onde se realizaram as provas e onde a Atos instalou e gerenciou infraestruturas completas para assegurar que os eventos desportivos aconteciam no dia e na hora previstos.

400 – Número de incidentes de segurança de TI por segundo (200 por segundo em Londres) que se registaram nos Jogos Olímpicos.

120 – Número de incidentes de segurança de TI por segundo que se registaram nos jogos Paralímpicos.

430.000 – Número de acreditações processadas e ativadas utilizando o sistema de TI da Atos.

120 milhões Número de mensagens enviadas aos clientes de mídia para compartilhar, em tempo real, resultados e informações das 66 modalidades desportivas olímpicas e paralímpicas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor