Egípcio Sawiris faz parceria com bondholders da Oi para plano alternativo de recuperação

EmpresasFinançasNegóciosOperadorasRedes
0 0 Sem Comentários

Não é a primeira vez que Naguib Sawiris demonstra interesse no mercado brasileiro. Em 2012 e 2014 o egípcio que controla a Orascom tentou entrar no capital da Telecom Italia, sob a condição de que ela mantivesse o controle da TIM Brasil.

Depois de rejeitar o plano de recuperação judicial da Oi no início de setembro, o comitê diretivo formado pelo grupo ad hoc de titulares de bonds (bondholders) da operadora brasileira comunicou um acordo com o Grupo Sawiris, do empresário egípcio Naguib Sawiris. Os bondholders consideraram que o plano original “claramente busca enriquecer os atuais acionistas e oferece a eles o perdão de R$ 22 bilhões em dívidas”.

O acordo de colaboração mútua com o Grupo Sawiris irá discutir e avaliar os termos de um plano alternativo de recuperação da Oi e suas subsidiárias e sua operação pós recuperação judicial. A ideia é que a alternativa seja construída com o apoio dos demais credores e outros stakeholders para que “efetivamente enderece os desafios da estrutura de capital” da empresa.

O plano alternativo prevê ainda um novo aporte de capital após sua implantação para a fase posterior à recuperação judicial: “novo capital e investimentos consideráveis” por parte do grupo do Egito.

Em comunicado enviado à imprensa, Sawiris disse estar confiante na perspectiva do Brasil, na sua economia e suas pessoas. “Acreditamos que ao apoiar o comitê de bondholders, junto com a nossa experiência no segmento, nós ajudaremos a Oi em uma solução ganha-ganha a atingir resultados positivos para todos os interessados”.

Para Otavio Guazzelli, representante do comitê e da consultoria financeira Melis & Company, “apesar do desapontamento com a falta de engajamentos da Oi em negociar o plano de recuperação com os seus principais grupos de credores, o comitê de bondholders continua acreditando em uma solução consensual”. De acordo com o comitê, até o momento a Oi e seus administradores “não estabeleceram qualquer negociação” com o grupo de bondholders.

Interesse no Brasil

Não é a primeira vez que Nagib Sawiris demonstra interesse no mercado brasileiro. O egípcio controla Orascom Telecom, com operações no Egito, Coreia do Norte, Líbano, Paquistão e outros países da África do Norte e do Oriente Médio. Em 2012 ele fez uma oferta de 3 bilhões de euros pela Telecom Italia, proposta que foi recusada pelo conselho de administração da holding italiana. Em 2014, ele voltou a tentar comprar a italiana, desde que sua oferta não fosse recusada e na condição de que a companhia mantivesse sua participação de controle na TIM Brasil.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor