Futurecom 2016: Vivo inicia testes de agregação de portadoras para LTE-A em Rio Verde/GO

EmpresasNegóciosOperadorasRedes

Operadora já deu início também ao refarming de frequências de 2G para usar com LTE. Ela separou blocos de 5 MHz da faixa de 1.800 MHz para usar com 4G e, posteriormente, fará a limpeza do espectro de 850 MHz.

 

 

 

 

E enquanto a Vivo espera a liberação da faixa de 700 MHz para iniciar o deployment de LTE na faixa de frequências que ainda está ocupada pela TV analógica, a operadora já iniciou testes de agregação de portadoras para implementar a tecnologia LTE-Advanced (LTE-A). De acordo com Rodrigo Dienstmann, vice-presidente executivo de recursos, os primeiros testes de LTE-A com agregação de portadoras utilizando as frequências de 2,5 GHz, 1,8 GHz e 700 MHz começaram pela cidade goiana de Rio Verde, a primeira a ter o switch-off da TV analógica no cronograma do governo.

De acordo com o executivo, a Vivo já efetuou a efetuou a limpeza da faixa de 1.800 MHz separando um bloco de 5 MHz para o 4G em algumas cidades. “Nas cidades onde não teremos a faixa de 700 MHz, usaremos o 1.800 MHz e o 850 MHZ para a agregação de portadoras. Nossa estratégia é ser bem agressivos no 1.800 MHz nos próximos três ou quatro anos e, depois, fazer o 850 MHz”, disse Dienstmann durante coletiva da operadora na Futurecom nesta terça, 18.

O executivo, entretanto, ainda não considera o desligamento das redes 2G da operadora no curto prazo.

Embora o número de usuários de 2G da Vivo caia 20% a cada semestre, a operadora ainda tem “alguns milhões de assinantes de 2G” e ainda deve demorar alguns bons anos até que a operadora consiga desligar a tecnologia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor