Mercado de impressoras 3D cresce 108% em 2016

EscritórioImpressoras
1 60 Sem Comentários

As remessas mundiais de impressoras 3D vão atingir 455,772 mil unidades em 2016, mais que duplicando o volume alcançado no ano passado (219,168 mil), de acordo com a mais recente pesquisa do Gartner.

Apesar de o mercado ter abrandado o ritmo de crescimento após uma explosão inicial, o Gartner prevê que a indústria de impressoras 3D vai se expandir significativamente nos próximos quatro anos, atingindo mais de 6,7 milhões de unidades vendidas em 2020.

“Antes um mercado de nicho, a impressão 3D tem continuado sua rápida transformação numa tecnologia mainstream abraçada por consumidores e empresas em todo o mundo”, diz Pete Basiliere, vice-presidente de pesquisa do Gartner. “A evolução do hardware e software, com a expansão continuada de materiais utilizáveis, impulsionou o crescimento tanto nos mercados de impressão 3D de consumo quanto empresarial”, acrescenta.

A impressão 3D está agora experimentando uma aceitação ampla, além de sua aplicação em indústrias especializadas. Hoje, a impressão 3D está sendo usada para criar protótipos, processos de manufatura e produzir produtos acabados, diz o Gartner. Várias indústrias estão usando impressoras 3D, e a consultoria espera que um crescimento mais diverso ocorra.

O mercado, nesse momento, é constituído por sete tecnologias, sendo que a extrusão de materiais irá liderar até 2020, devido ao custo baixo na gama de entrada. A estereolitografia, ou prototipagem rápida, também crescerá a grande ritmo, com novos provedores entrando no mercado.

“O principal impulsionador do mercado para impressoras 3D de consumo que custam menos de US$ 2.500 é a aquisição de dispositivos de baixo custo por instituições de ensino e departamentos empresariais de engenharia, marketing e departamentos criativos”, adianta Basiliere. “As impressoras 3D estão sendo utilizadas para várias aplicações e disciplinas por estudantes em escolas onde seu uso pode prepará-los para muitas carreiras, como engenharia, manufatura, aeroespaço e robótica.”

Até 2020, a prototipagem será o principal uso desses dispositivos. Nesse ano, quase 65% dos fabricantes irão usar impressoras 3D para produzirem componentes dos produtos que vendem.

Do ponto de vista regional, América do Norte e Europa Ocidental continuarão crescendo forte, mas o ritmo de crescimento das remessas será menor que o de outras regiões. O Gartner prevê que China e Ásia-Pacífico cresçam significativamente, impulsionadas tanto por empresas do setor privado como público.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor