Remessas mundiais de smartphones sobem 1% apesar de Note 7

MobilidadeSmartphones

Boas notícias no mercado de smartphones: as remessas mundiais atingiram 362,9 milhões de unidades no terceiro trimestre, o que representa um crescimento de 1% face ao mesmo período do ano passado. São dados da mais recente pesquisa da IDC.

É um número relevante tendo em conta o desastre que se abateu sobre a líder de mercado Samsung, que teve de recolher milhões de Galaxy Note 7 devido ao risco de incêndio da bateria. A pesquisa da IDC exclui os smartphones vendidos e recolhidos pela gigante sul-coreana, e também indicam uma subida sequencial de 5,3%, face ao segundo trimestre de 2016.

“O domínio de mercado da Samsung no terceiro trimestre não foi desafiado no curto prazo, mesmo com a recall do Galaxy Note 7, mas o impacto de longo prazo na marca ainda é imprevisível” explica Melissa Chau, diretora de pesquisa associada da IDC. “Em um mercado que está amadurecendo, o Natal chegou mais cedo para os fabricantes que querem capitalizar com topos de gama alternativos, como o iPhone 7 Plus da Apple e o Google Pixel”, nota.

No top cinco de maiores fabricantes mundiais de smartphones, tudo ficou na mesma. A Samsung lidera com 20% de quota, uma quebra de 3,3 pontos percentuais que se deve à redução de 13,5% nas vendas. A Apple está em segundo, com 12,5% de quota e uma quebra de vendas em torno de 5,3%.

O resto são marcas chinesas. Em terceiro aparece a Huawei, com 9,3% e um crescimento de 23%. De seguida está a Oppo, que obteve os maiores ganhos no trimestre (7% de quota e 121,6% de crescimento) e por fim a vivo, com 5,8% de quota e uma subida de 102,5%.

A IDC sublinha que a Samsung foi salva pelo sucesso do Galaxy S7 e S7 Edge, além dos grandes volume dos smartphones de preços mais acessíveis.

“Com o Note 7 descontinuado, tanto a Samsung quanto os outros fabricantes vão precisar investir tempo e dinheiro em testes apropriados para evitar incidentes futuros dessa proporção”, sublinha o diretor de pesquisa Anthony Scarsella. “A recall do Note 7 é um despertar para a indústria, que levará certamente a um processo mais vigoroso de testes e certicação daqui para a frente.”

No que respeita a Apple, as remessas do trimestre caíram cerca de 5%, mas a consultoria nota que a demanda pelo iPhone 7 Plus foi maior que a esperada e isso provocou problemas de fornecimento. Esses problemas serão aliviados no quarto trimestre. “A IDC acredita que o iPhone poderá ter maior sucesso no próximo trimestre, visto que beneficiará da recall do Note 7”, indica a pesquisa.

Fechando o pódio, a Huawei registrou um crescimento robusto, ajudado pelo sucesso do topo de gama P9 e do smartphone de média gama V8. A marca chinesa conseguiu também crescer fora do mercado doméstico, sendo que a China representa agora 53% das vendas, contra 60% no ano passado.

Em novembro, a marca irá apresentar seu novo Mate 9 em Nova Iorque.

 

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor