Apple anuncia recall de iPhone 6s para troca de baterias

MobilidadeSmartphones
0 1 Sem Comentários

A Apple anunciou esta segunda-feira um programa de recall do iPhone 6S. O recall tem como objetivo a resolução de problemas na bateria. Segunda a fabricante, “um número muito pequeno” de smartphones está se desligando sem motivo aparente.

De acordo com a Apple, o recall não se deve a questões de segurança ou riscos de explosão, mas sim a um defeito que provoca o desligamento inesperado do aparelho. Alguns usuários do iPhone 6S se deparam com o fato do aparelho se desligar quando ainda tinha bateria. Para que o smartphone volte a ligar é necessário colocá-lo no carregador para que funcione normalmente.

Esta anomalia foi analisada pela Apple, que concluiu que não é um problema generalizado. Segundo a empresa, apenas uma série de equipamentos fabricados entre setembro e outubro de 2015 tem este problema. Não foi revelado nenhum número concreto de aparelho afetados.

Tal como aconteceu em situações semelhantes, em que a Apple decretou defeito de fabricação, a marca recomenda que os donos de iPhones 6S com este problema se dirijam a uma loja autorizada ou Apple Store para verificar o número de série.

A substituição de bateria será realizada sem custos adicionais para o cliente final. Contudo, se o aparelho tiver algum outro problema, com tela quebrada, essas questões devem ser resolvidas antes da troca da bateria.

A Apple deixa ainda algumas recomendações para os utilizadores do iPhone 6S terem em conta antes do processo de substituição de bateria. As recomendações estão na página dedicada ao recall e são as seguintes:

Fazer um backup dos dados através do iTunes ou iCloud

Desativar a função Encontrar o meu Iphone

Formatar o iPhone 6s

A semana passada a Apple já tinha anunciado outro programa de reparação, mas referente ao iPhone 6S Plus. Alguns aparelhos estavam sem reconhecer os toques na tela e na parte superior aparecia uma barra cinza. A empresa alegou que este problema ocorria quando o smartphone sofria quedas frequentes e por isso decidiu cobrar uma taxa de US$ 149 para corrigir o problema.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor