HP Inc surpreende com crescimento no trimestre

EmpresasEscritórioImpressorasNegóciosPC
0 0 Sem Comentários

Os números da HP Inc para o quarto trimestre e o ano fiscal de 2016 foram mistos, mas acabaram supreendendo o mercado. A empresa, que assinala agora o primeiro aniversário após a separação da Hewlett-Packard, registrou uma subida da receita no trimestre findo a 31 de outubro. São boas notícias sobre o mercado de computadores.

A receita da empresa subiu 2% para US$ 12,5 bilhões, invertendo a tendência de quebra dos últimos sete trimestres consecutivos. O consenso dos analistas é de que, mais uma vez, a HP sofreria uma redução na receita líquida.

A maior parte da receita da HP Inc advém do segmento de computadores, onde a empresa perdeu sua liderança para a chinesa Lenovo mas vem recuperando quota de mercado. De acordo com o Gartner, no terceiro trimestre as remessas de computadores HP alcançaram 20,4% de quota. Em sua apresentação de resultados, a empresa avançou que as remessas aumentaram 5% em unidades e as receitas subiram 4%. Isso que justificou o crescimento inesperado no trimestre, e é um bom prenúncio para o mercado de computadores.

No entanto, a boa notícia foi essa mesmo. As maiores margens de lucro da HP se encontram nos segmentos de impressoras e tinteiros, e aí o mercado está turbulento. O volume de negócios da empresa no segmento caiu 8%; é que embora o hardware tenha crescido 1%, tinteiros e acessórios derraparam 12%. Em setembro, a empresa anunciou a aquisição da divisão de impressoras da Samsung – precisamente para tentar recuperar volume em um segmento lucrativo.

O CEO da HP Inc, Dion Weisler, disse ainda assim que o trimestre foi um final “simpático” para um ano cheio de desafios, colmatados pela execução sólida apresentada pela companhia. “Estamos entrando em 2017 em um momento ascendente de nossa trajetória”, afirmou o CEO na call com analistas.

A missão será recuperar a rentabilidade da empresa. No trimestre, o lucro despencou 66% para US$ 492 milhões, refletindo custos com a aposentadoria de vários funcionários. E no global do ano fiscal, a receita caiu 6% para US$ 48,2 bilhões.

Para o primeiro trimestre fiscal, que decorre nesse momento, a companhia ajustou em baixa a expectativa de lucros por ação: os analistas esperavam 39 cêntimos, mas a HP prevê 35 a 38 cêntimos de dólar.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor