Os cuidados que os gestores de TI devem tomar durante a Black Friday

E-commercee-MarketingSegurança
0 0 Sem Comentários

O brasileiro adora ir às compras em qualquer data do ano, mas desde 2010 tem mais um motivo para correr atrás de promoções: a Black Friday. Repetimos o velho hábito norte-americano da “sexta-feira negra”, dia que sucede o feriado de ação de graças naquele país e que leva aglomerações inteiras até os centros de compras para aproveitar descontos que prometem, ao menos em teoria, serem arrasadores.

*Nilton de Souza, diretor de Soluções e Negócios da BluePex.

Por aqui o fenômeno viralizou no comércio eletrônico. É verdade que o brasileiro é íntimo das compras via internet há mais tempo que isso, mas a euforia em torno do Black Friday ganha cada vez mais adeptos, com cartões de crédito à postos para as compras.

Isso acontece, basicamente, por dois motivos: o primeiro é que cada vez mais lojas virtuais e físicas aderem ao movimento e realmente baixam os preços em relação ao que estamos acostumados. O segundo é que nunca esteve-se tão conectado no Brasil como agora, afinal, temos mais de 252 milhões de celulares com acesso à internet, entre smartphones e feature phones.

Para os gestores de TI das empresas, no entanto, a Black Friday é mais um motivo para preocupação. Em meio a toda essa histeria, funcionários tendem a usar as redes corporativas para efetuar compras sem se preocupar com a segurança. Do outro lado, hackers e grupos criminosos sabem que esse é um bom momento para atacar porque, atraídos pelas promoções, os usuários muitas vezes “baixam a guarda” e criam novas brechas de segurança.

Entre os dados guardados nos servidores e trafegados pelas redes corporativas, tudo precisa estar seguro e essa proteção pode ser ameaçada por um simples link corrompido, uma URL maliciosa e até a emboscada do usuário em páginas de ofertas falsas.

É natural que, durante a semana da Black Friday, o volume de SPAMs também aumente consideravelmente, congestionando o servidor de emails. Apesar da maior parte deles ser apenas propagandas, é provável que existam ali malwares e conteúdos maliciosos. E caso a empresa esteja mal protegida, basta um clique de um funcionário para que toda a informação corporativa seja colocada em risco.

Outro possível problema acarretado pela Black Friday é a queda de produtividade no trabalho. Isso pode acontecer porque as pessoas ficam em alerta total durantes os dias que antecedem o Black Friday para garantir que não perderão as melhores ofertas do período, mas também por congestionamentos na rede causada por navegação sem controle da internet.

Para ambos os casos, contar com uma ferramenta que garanta não apenas a proteção mas também o controle sobre o uso da rede é fundamental. Firewalls modernos atuam como um escudo da rede corporativa, trazendo embarcadas ferramentas importantes como antivírus e antispam. Além disso, contam com recursos que garantem ao gestor da rede a possibilidade de controlar o tráfego de dados, bloqueando possíveis sites maliciosos e também garantindo que o fluxo de banda seja direcionado para atividades essenciais do negócio, como a emissão de notas fiscais, por exemplo.

Para completar, cabe ao gestor de TI conscientizar os colaboradores sobre os riscos à segurança da informação que podem ser causados pela data. Com a correta infraestrutura e a atenção do usuário na hora de navegar e comprar, todos poderão aproveitar os benefícios das promoções com segurança. Porque, afinal, quem é que não gosta de fazer uma comprinha de vez em quando?