Receita da Salesforce cresce 25% no trimestre

CloudCRMe-Marketing
0 0 Sem Comentários

Uma das maiores empresas de gestão de relacionamento com clientes (CRM), a Salesforce anunciou bons resultados referentes ao terceiro trimestre do ano fiscal 2017, finalizado em 31 de outubro de 2016. O destaque vai para o aumento de 25% na receita, que atingiu US$ 2,14 bilhões.

“A Salesforce teve um trimestre excepcional, com um crescimento de receita ano a ano de 25% (em dólares) e 27% em moeda constante”, comentou Marc Benioff, chairman e CEO da Salesforce. “Tenho o prazer de anunciar que esperamos fechar o ano de 2018 atingindo a marca dos US$ 10 bilhões, o que nos coloca rumo aos US$ 20 bilhões mais rapidamente do que qualquer outra empresa de software corporativo”, comemorou o executivo.

A Salesforce apresentou os seguintes resultados para o terceiro trimestre de 2017:

As receitas provenientes de assinaturas e suporte representaram a quase totalidade das receitas da empresa, atingindo US$ 1,98 bilhões. Foi um aumento de 24% ano a ano, refere a Salesforce. Já as receitas provenientes de serviços profissionais e outras totalizaram US$ 161 milhões, um aumento de 39%.

Na receita diferida não faturada, que representa negócios contratados mas não faturados, atingiram aproximadamente US$ 8,6 bilhões no final do terceiro trimestre, um aumento anual de 28%. Esse valor inclui  US$ 350 milhões em receita diferida não faturada relacionada à aquisição da Demandware.

Os números do caixa gerado por operações não foram tão bons, caindo 5% para US$ 154 milhões. O total em caixa, equivalentes de caixa e títulos comercializáveis atingiu US$ 1,75 bilhões no final do trimestre.

Para o quarto trimestre, a projeção de receita é de US$ 2,267 bilhões a US$ 2,277 bilhões, um aumento de 25% para 26%. O ano fiscal total renderá US$ 8,365 bilhões a US$ 8,375 bilhões, levando a especialista em CRM mais perto de seu objetivo de 10 bilhões. Tal como afirmou o CEO, a previsão do ano fiscal de 2018 – que, na prática, acontecerá quase todo em 2017 – é de que a receita cresça 21% para US$ 10,1 bilhões a US$ 10,15 bilhões.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor