Techweek LA | Lições de empreendedores que estão vencendo

GestãoNegóciosStartup
0 0 Sem Comentários

Uma das coisas mais importantes que o líder de uma startup terá de criar é a cultura certa. Isso poderá determinar o sucesso da empresa no futuro, e por isso é crítico que seja identificado desde o início. Foi o que exploraram alguns líderes de startups que estão se dando bem no mercado durante um evento de inovação em Los Angeles.

Foi durante o Techweek LA que Andrei Cherny, CEO da startup Aspiration, compartilhou algumas dicas para inovadores e empreendedores.

“Todo escritório tem uma cultura, boa ou má. Quais são os valores dessa cultura? Não existe apenas um caminho para o sucesso”, validou o executivo, que lidera uma startup financeira com a missão de “fazer o bem” e com consciência social. Cherny sublinhou que a cultura da Uber e da Airbnb é bem diferente, mas ambas alcançaram sucesso em seus segmentos.

“Tudo depende do fundador e da equipe de liderança sênior, mas também da empresa como um todo”, explicou Cherny. O problema é que o sentido de visão global da empresa é difícil de repassar de cima para baixo. “Essa missão incumbe a cada pessoa da equipe, especialmente em empresas pequenas. Cada pessoa nova que entrar vai mudar a cultura, por isso que o processo de contratação é tão vital.”

Pek Pongpaet, managing partner da especialista em design UX imPekable, contou um pouco de sua história. Quando mudou de Chicago para o Vale do Silício e fundou sua startup, ele achava que tinha de oferecer todos os benefícios e incentivos de outras empresas, tais como alimentação gratuita. Mas isso ficava super caro, e Pongpaet acabou entendendo que nem fazia diferença. “O que as pessoas valorizavam era nossa flexibilidade, informalidade e atitude de fazer acontecer”, explicou o executivo no painél da Techweek LA. Atualmente, a imPekable tem como funcionários designers que vieram da gigante Apple, o que comprova sua capacidade de atrair o melhor talento do Vale.

A cultura da Apple é muito secreta e não permite colaboração”, explicou. “Mas nós somos muito abertos, temos uma equipe remota e uma cultura de equilíbiro entre trabalho e vida que é flexível.” No fundo, desde que os colaboradores cumpram suas tarefas, os chefes não querem saber onde ou como o fazem. Essa liberdade é importante para atrair e reter talento, considerou o responsável.

Por outro lado, o time de liderança precisa ser forte o suficiente para ouvir “não” e perseverar, lembrou Hiro Taylor, da HeroPay. A startup fornece um site de comparação de provedores de cartões de crédito, para escolher a melhor opção com taxas mais baixas.

“Você vai ouvir ‘não’ muitas vezes. Fortaleça sua couraça e apenas comece. Se lance. Você é quem precisa dizer ‘sim’.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor