Nokia volta à carga com mais processos contra a Apple

LegalMobilidadeRegulaçãoSistema OperacionalSmartphones

A Nokia prometeu e cumpriu: após processar a Apple pela infração de 32 patentes na Alemanha e nos Estados Unidos, a fabricante entrou com novas ações legais contra a casa-mãe do iPhone.

Em causa está o reavivar da guerra de patentes que marcou a indústria dos smartphones há alguns anos. A Apple foi a primeira a processar a Nokia, no início da semana, e a empresa finlandesa respondeu com várias ações legais, que agora estão sendo alargadas.

De acordo com a release da empresa, estão correndo processos em 11 países abrangendo 40 patentes. Essas são relacionadas a tecnologias de ecrã, interface de usuário, software, antena, chips e vídeo.

Além de Alemanha (Dusseldorf, Mannheim e Munique) e Estados Unidos (Texas) as ações legais foram também entregues na Finlândia (Helsínquia), Reino Unido (Londres), Itália (Turim), Suécia (Estocolmo), Espanha (Barcelona), Holanda (The Hague), França (Paris), China (Hong Kong) e Japão (Tóquio). Tem também uma queixa junto da International Trade Commission dos Estados Unidos.

O problema é que as duas empresas não conseguiram chegar a acordo para o pagamento de licenças cobrindo essas tecnologias. A Nokia diz que seus portfólios de propriedade intelectual cobrem dezenas de milhares de patentes e foram alargados com a compra da Alcatel-Lucent em 2016 e a aquisição da totalidade da NSN em 2013. Mas a Apple não aceitou os termos propostos pela empresa.

Por seu lado, a Apple argumenta que quer cumprir seus deveres e licenciar as tecnologias que utiliza, mas acusa a Nokia e duas firmas de licenciamento de tentarem extorquir licenças sobre tecnologias que são da autoria da Apple e não dos finlandeses.

O diretor de patentes da Nokia, Ilkka Rahnasto, diz que a empresa está simplesmente tomando ações para defender seus direitos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor