Security chega em BH e prevê investir R$ 35 milhões até 2020

EmpresasNegóciosSegurança

A Security Segurança e Serviços, empresa de segurança patrimonial, segurança eletrônica, facilities e academia de formação de vigilantes, tem em marcha um plano de expansão para atuar em todas as regiões do Brasil e principais cidades até 2020. É nesse contexto que a empresa acaba de chegar em Belo Horizonte.

O investimento previsto para o plano é de R$ 35 milhões, com objetivo de faturamento de R$ 500 milhões ao ano até 2020 (no ano passado, a Security faturou R$ 300 milhões). A empresa iniciou agora sua atuação em Belo Horizonte/MG, Salvador/BA, primeira cidade na região nordeste, e Campo Grande/MS. “Essas regiões são estratégicas, pois a retomada da economia prevê um reaquecimento das atividades industriais, segmento que é uma das nossas especialidades”, comenta Erasmo Prioste, diretor comercial da Security Segurança e Serviços.

Atualmente, a segurança patrimonial predomina nos serviços que a Security oferece, mas dentro do plano de expansão o objetivo é aumentar a participação de vigilância eletrônica para 35%, de facilities para 25% e segurança patrimonial ser responsável por cerca de 40%. “A segurança eletrônica tem grande potencial de crescimento devido às tecnologias do segmento (biometria, softwares e sistemas integrados de segurança) e aos aplicativos da Security, que permite ao cliente monitorar sua empresa ou residência independentemente de onde estiver”, acrescenta Erasmo.

Ainda nesse ano, a Security vai iniciar a operação de Portaria Virtual para condomínios, que aumenta a segurança através da utilização de sistemas tecnológicos que controlam, por meio de um software centralizado, o fluxo de entrada e saída dos moradores, prestadores de serviços e visitantes. Além disso, reduz os custos com despesas administrativas.

No total, a Security está em mais de 500 cidades. O plano de expansão também reflete as expectativas para os segmentos em que atua: o mercado de segurança patrimonial faturou 46 bilhões em 2014 de acordo com a Fenavist, e o de segurança eletrônica obteve faturamento de R$ 5,4 bilhões em 2015 e prevê crescer 10% em 2016.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor