Volvo Cars e Uber parceiras em projeto de condução autônoma

EmpresasInovaçãoNegócios

O projeto de condução autônoma vai ser realizado em São Francisco (EUA). A empresa de compartilhamento de transporte privado está a utilizar o modelo desportivo XC90 da Volvo.

A próxima fase do projeto se baseia na construção de veículos utilizados no desenvolvimento de automóveis de condução completamente autônoma. Os carros testados em São Francisco já estiveram antes em Pittsburgh, na Pensilvânia (EUA).

Esses carros que vão circular em São Francisco foram fabricados pela Volvo e vendidos ao Uber. A empresa de compartilhamento de transporte instalou seu próprio hardware e montou no teto um software de controlo. Os carros não vão ter motorista mas irão ter um técnico da Uber a bordo o tempo inteiro a supervisionar as operações do veículo.

Para Mårten Levenstam, vice-presidente de Planeamento de Produtos da Volvo Cars, “a promessa de um carro de transporte partilhado de condução autônoma se está tornando realidade”. O executivo acrescentou ainda que “a Volvo está orgulhosa por ser pioneira nesta área do mundo automotivo, em conjunto com os parceiros do Uber”. A aliança com a empresa norte-americana é uma das três partes do plano da Volvo no desenvolvimento de tecnologias na direção autônoma.

A Volvo Cars e o Uber estão a investir 300 milhões no projeto. Os carros que serão utilizados em São Francisco são fabricados com base na plataforma modular SPA, utilizadas nos modelos topo de gama da fabricante sueca, como o XC90.

A SPA foi desenvolvida como parte do programa industrial de transformação global da Volvo, iniciado em 2010, e com o custo de 11 bilhões de dólares. A Spa tem com objetivo receber as mais recentes tecnologias da próxima geração, como direção autónoma, eletrificação e conectividade.