Check Point anuncia resultados financeiros com crescimento de 7%

GestãoResultados

A Check Point Software Technologies Ltd. anunciou os resultados financeiros do quarto trimestre de 2016 e do ano fiscal completo, tendo registrado crescimento de suas receitas totais.

A empresa de segurança obteve resultados positivos no quarto trimestre do ano passado com receitas de US$ 487 milhões que, em comparação com 2015 (458 milhões), representam um crescimento do 6%.

Destaque para as subscrições de Software Blades com US$ 110 milhões, um aumento de 26% ante o mesmo período de 2015. As receitas de exploração GAAP corresponderam a 241 milhões de dólares (50% das receitas) e as de exploração Não-GAAP foram de 266 milhões de dólares, correspondendo a 55% das receitas.

O resultado líquido por ação foi de US$ 1,31 dólares, um crescimento de 21% face ao período homólogo.

A nível dos resultados anuais, as receitas chegaram aos US$ 1.741 milhões, representando um crescimento de 7% relativamente ao ano anterior. Em 2015, os ganhos foram de 1.630 milhões de dólares.

As receitas de exploração GAAP atingiram 852 milhões de dólares em comparação com 686 milhões de dólares do ano transato. Por seu turno, os lucros por ação foram de US$4,18 contra US$ 3,74 do ano anterior, ou seja, um aumento de 12%

Os lucros das subscrições de Software Blades atigiram US$ 390 milhões, mais 22% que em 2015.

“O final de 2016 foi muito bom. A empresa cresceu em todas as zonas geográficas e os novos clientes aumentaram. Registrámos um crescimento de três dígitos em nossas áreas de prevenção de ameaças avançadas e segurança móvel. No caso das security gateways, falamos de um incremento de dois dígitos”, indicou, em comunicado, Gil Shwed, fundador e CEO da Check Point. “É fantástico ver que os investimentos dos últimos anos deram seus frutos e resultaram num trimestre impressionante”.

Vale a pena recordar que a Check Point se juntou esse ano ao projeto global No More Ransom (NMR)  com o intuito de ajudar a oferecer novas soluções às vítimas de ransomware para que elas acessem ao arquivos encriptados sem ter de pagar qualquer resgate.

Além disso, a empresa foi responsável pela descoberta de vários malwares e ameaças ao longo do ano, entre elas, o Gooligan, o ImageGate e o QuadRooter,  que consiste em 4 vulnerabilidades nos chipsets da QualComm que colocam potencialmente em risco mais de 900 milhões de smartphones e tablets Android.

“2016 foi um grande ano para a Check Point. Continuamos ampliando nossa plataforma de segurança líder na indústria com a introdução de novas e inovadoras soluções para a prevenção de ameaças avançadas, Cloud, para dispositivos móveis. Além disso, atualizamos completamente nossos produtos de security gateways. Assim permitimos a nossos clientes a implantação de camadas de segurança cada vez maiores para fazer frente ao crescente número de ciberataques. Em 2017, continuaremos a nos centrar na oferta aos clientes de uma plataforma desenhada para evitar que as ciberameaças penetrem nas empresas”, concluiu CEO da empresa. 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor