Kaspersky Lab avisa para uso inadequado de senhas pelos usuários

Redes

No mundo inteiro, usuários da Internet ainda precisam aprender a usar senhas para se proteger online de modo eficiente. É o que conclui uma nova pesquisa da Kaspersky Lab, onde ficou claro que as pessoas colocam sua segurança online em risco ao tomar decisões incorretas e cometer erros simples em relação às senhas que usam, o que pode gerar consequências de longo alcance.

A pesquisa revelou três erros comuns no uso de senhas que colocam em risco um grande número de usuários da Internet: as pessoas usam a mesma senha em diversas contas, o que significa que se uma delas for descoberta, todas elas poderão ser invadidas; as pessoas usam senhas fracas, fáceis de decifrar e as armazenam sem segurança, invalidando totalmente o objetivo de ter uma senha.

“Considerando o volume de informações privadas e sigilosas que armazenamos online, as pessoas deveriam ter mais cuidado ao se proteger com eficácia utilizando senhas”, reflete Andrei Mochola, chefe de negócios ao consumidor da Kaspersky Lab. “Poder parecer óbvio, mas muitos parecem não perceber que cometem erros simples ao gerenciar senhas. Esses erros funcionam como se fossem uma porta aberta para o acesso a emails, contas bancárias, arquivos pessoais e outros”, explica o responsável.

A pesquisa mostra que muitas pessoas (18%) já passaram por uma tentativa de invasão de conta, mas poucas tinham uma segurança por senha eficiente e inteligente em vigor. Por exemplo, apenas um terço dos usuários da Internet criam passwords novas para diferentes contas online, e uma em cada dez pessoas usa a mesma senha em todas as contas online. Se ela for descoberta, corre o risco de ter todas as contas invadidas e exploradas.

Além disso, os usuários não criam passwords fortes o suficiente para protegê-los de invasões e extorsões. Apenas metade (47%) deles usa combinações de letras maiúsculas e minúsculas nas senhas, e dois terços (64%) usam uma mistura de letras e números. Isso acontece porque os usuários acreditam que apenas que suas contas em bancos online (51%), de email (39%) e em lojas virtuais (37%) precisam de senhas fortes.

O estudo também mostra que os usuários não cuidam muito bem de suas passwords, pois as compartilham com outras pessoas e utilizam métodos inseguros para lembrar-se delas. Quase um terço (28%) deles já compartilhou uma senha com um familiar próximo, e um décimo (11%) compartilhou uma senha com amigos, o que torna possível o vazamento não intencional. Mais de um quinto (22%) dos usuários também admitiu que anota as senhas em um caderno para não as esquecer. Mesmo que a senha seja forte, isso deixa o usuário vulnerável, pois outras pessoas podem vê-la e utilizá-la.

Mochola completa: “As pessoas ainda cometem erros simples em relação a suas senhas online. As melhores senhas não se encontram nos dicionários. Elas devem ser longas, incluir letras maiúsculas e minúsculas, números e sinais de pontuação. Porém, como hoje as pessoas têm muitas contas online, não é fácil lembrar de uma senha segura para cada uma delas. O uso de uma solução de gerenciamento de senhas ajuda a lembrar e gerar senhas fortes para minimizar o risco de invasão de contas”, sugere.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor