Cipher prevê crescimento de 30% em 2017

Segurança

A empresa brasileira de cibersegurança Cipher prevê um crescimento de 30% no faturamento em 2017, em comparação a 2016. É uma perspectiva ambiciosa para a companhia, que entrou no mercado há 17 anos.

Para atingir a meta, a companhia reestruturou as áreas internas e investiu em pessoas e na governança corporativa ao longo de 2016. “Apesar do cenário desafiador de 2016, foi um bom ano para a Cipher”, revela Paulo Roberto Bonucci, vice-presidente da Cipher no Brasil. “Conseguimos manter o nível de entregas e consolidamos nosso posicionamento estratégico como uma das principais fornecedoras de soluções de cibersegurança para o mercado enterprise”, sublinha.

Além da governança, a empresa investiu sistematicamente na gestão de pessoas, implantando uma política de cargos e salários que permitiu à companhia reforçar a equipe absorvendo profissionais  qualificados e retendo os talentos da companhia. “Essa estratégia resultou diretamente na queda dos índices de turnover, impactando diretamente nos bons resultados da companhia”, analisa Bonucci.

O executivo assumiu a liderança em junho de 2016 e decidiu também implantar uma estratégia de reposicionamento no mercado. Para uma entrega totalmente direcionada e personalizada aos clientes, as parcerias com os fabricantes foram reformuladas, focando em parceiros-chave líderes de mercados e que estão alinhados com o posicionamento da empresa.

“Também redesenhamos os processos de entrega da companhia. Aprimoramos nossas ofertas de consultoria, criamos uma nova área de gestão de projetos para gerenciar e auditar as novas entregas, garantindo eficiência máxima no atendimento ao cliente e soluções adequadas às necessidades específicas do mercado brasileiro”, destaca Bonucci.

O crescimento de 30% em 2017 será um reflexo dos investimentos nos últimos meses e implicará uma mudança no go-to-market, dobrando o time de vendas e reforçando as estratégias de marketing. “Estamos começando o ano com mais funcionários do que o ano passado, indo na contramão do mercado. Iremos aumentar também nosso portfólio de serviços, novos produtos e parcerias”, complementa o executivo.

A Cipher busca também crescer quota de mercado dentro das grandes contas e consolidar a penetração no mercado de Serviços Gerenciados de Segurança. “Estamos constantemente acompanhando as tendências de mercado e os ataques estão cada vez mais sofisticados. Notamos um forte crescimento em invasões direcionadas para os dispositivos dos segmentos de saúde e manufatura, que são os mercados que buscaremos expandir as prospecções da companhia”, indica Bonacci.

A oferta de Serviços Gerenciados de Segurança (MSS – Managed Security Services) é o ponto forte do portfólio da empresa, que oferece soluções que lhe permitem ser um “one stop shop” para seus clientes. A Cipher mantém três unidades de negócios integradas para acelerar a entrega de projetos – Managed Security Services, Serviços Profissionais e Integração de Sistemas de Segurança. A empresa afirma ter 80% do mercado de certificação PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standard). Entre os mais de 200 clientes de seu portfólio, estão empresas avaliadas como as 500 maiores do país em todos os segmentos de mercado. Entre elas destacam-se: BRF, Embraer, Fleury, Itaú, Light e Lojas Marisa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor