MWC | Telefónica lança plataforma cognitiva Aura

InovaçãoMobilidade

A Telefónica apresentou no Mobile World Congress sua quarta plataforma, Aura, com integração de capacidade cognitivas. Ela servirá de base para um novo modelo de relacionamento com os clientes.

A Aura permitirá aos usuários gerenciar suas experiências digitais com a empresa e controlar os dados gerados a partir dos produtos e serviços da Telefónica. Essa é a quarta plataforma lançada desde que a operadora iniciou seu processo de transformação digital, no qual investiu € 48 bilhões desde 2012.

A Aura fará sentido cognitivo deste fluxo de dados. Até o momento, esses dados eram gerados de forma ininterrupta, embora fragmentada, pelas redes e outros ativos físicos da empresa (1ª plataforma, principal ativo da Telefónica), seus sistemas unificados de TI (2ª plataforma), bem como os produtos e serviços oferecidos para os seus usuários (3ª plataforma). Estas plataformas inteligentes implicarão em um grande salto qualitativo na experiência dos clientes com a empresa.

“A inteligência cognitiva nos permitirá entender melhor nossos clientes, para que eles possam manter um relacionamento conosco de forma mais natural e fácil, e criar uma nova relação de confiança com eles baseada na transparência e no controle dos dados dos clientes”, disse o presidente e CEO da Telefónica, José María Álvarez-Pallete, durante o evento de apresentação. “Nós somos pioneiros neste modelo de relacionamento. Nunca antes os clientes de serviços de telecomunicações puderam conversar com as redes em tempo real. Estamos ampliando o relacionamento com os nossos clientes, buscando aumentar a satisfação deles e abrindo novas possibilidades para que possam enriquecer suas vidas digitais conosco.”

Chema Alonso, Chief Data Officer da Telefónica, recorreu às mais recentes tecnologias para a apresentação da Aura. Usando HoloLenses, os óculos de realidade aumentada da Microsoft, ele descreveu o caminho que os dados seguem por meio das três primeiras plataformas, até sua transformação em algo único para cada cliente. Como prova de que a AURA não é apenas um projeto, mas uma realidade nascente, a Telefónica fez várias demonstrações com diferentes casos de uso por meio de diferentes canais, como um aplicativo para celular e a integração do Aura com o Amazon Echo.

Por exemplo, os clientes poderão fazer perguntas sobre os produtos e serviços que utilizam; criar e controlar uma demanda; gerenciar e desbloquear o acesso do dispositivo ao roteador Wi-Fi fornecido pela Telefónica; obter informações e programar a gravação de seus programas favoritos; ou ser alertado quando seu consumo de dados é maior do que o normal. Cada usuário terá um “espaço de dados pessoais”, a memória – que armazenará o rastro digital deixado ao usar produtos e serviços da Telefónica, e que permitirá aos clientes, se assim desejarem, personalizar a experiência.

“Com a Aura queremos transformar os dados em conhecimento e colocá-los nas mãos de nossos clientes para que eles possam conhecer, decidir e agir, e, assim, aproveitar ao máximo o relacionamento com a Telefónica”, disse Chema Alonso durante a apresentação.

A Telefónica está colaborando com a Microsoft em seu projeto da quarta plataforma e a UNICEF também participou da apresentação, com um exemplo que demonstra o grande potencial social contido nos dados. Os usuários terão a possibilidade de compartilhar dados anônimos considerando a mobilidade ou uso de serviços móveis. Desta forma, a agência das Nações Unidas poderá melhorar a qualidade de seus modelos preditivos, aprimorando a sua resposta às crianças em casos de desastres naturais ou emergências de saúde. Na mesma linha, está sendo desenvolvido outro caso de utilização em colaboração com a ProFuturo – iniciativa social e educativa promovida pela Fundação Telefónica e pela Fundación Bancaria La “Caixa”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor