Sociedade deve saber dos benefícios da mudança no marco regulatório, diz Anatel

Regulação

O vice-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Igor de Freitas, defendeu, durante o Seminário Políticas de Telecomunicações, realizado na terça-feira (14.02), maior divulgação dos benefícios que a sociedade terá com as mudanças no marco regulatório de telecomunicações.

O executivo afirmou que essas mudanças permitirão uma nova política de banda larga para o país e que é da responsabilidade da agência reguladora descobrir que lacunas de serviços de telecomunicações que precisam ser preenchidas para que a população brasileira tenha acesso aos diversos serviços.

Segundo Igor de Freitas, a  maior prioridade é a classificação dos municípios brasileiros em relação à competição de telecomunicações, seguido de uma revisão do modelo de aferição da qualidade dos serviços. Essa última já se encontra em marcha.

O vice-presidente da Anatel  disse ainda que o governo deve definir em quanto tempo quer universalizar a banda larga no país e qual é volume de recursos necessário para a construção da infraestrutura e que  “a Anatel quer chegar na virada do ano com isto resolvido para começar os investimentos”.

“O mundo das telecomunicações é a internet, é muito mais do que revisar contratos de concessão”, acrescentou Igor de Freitas sobre a necessidade de mudanças no marco regulatório de telecomunicações.

O Seminário Políticas de Telecomunicações teve a sua 16ª edição e é o principal encontro político-regulatório independente do setor. Esse ano, entre outros assuntos, o evento incidiu sobre a agenda político-regulatória, o novo modelo de telecomunicações e quais os desafios que se colocam à regulação dos serviços digitais e políticas públicas com foco na conectividade.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor