Fazer da auto-reparação na indústria mobile uma tendência

InovaçãoMobilidadeNegóciosOperadorasRedesTecnologia Verde
0 2 Sem Comentários

O CEO da fabricante holandesa s Fairphone desafiou a indústria a tornar a sustentabilidade na próxima tendência de mercado.

A ideia é tornar os celulares mais fáceis de serem intervencionados  cada vez que seja necessário, tornando os equipamentos auto-reparáveis, aumentando  assim a vida útil dos aparelhos e a quantidade de resíduos produzidos.

Transformar a sustentabilidade numa tendência é um designo muito forte e ambicioso, mas de fato importante para o futuro de todos os mercados. Se o exemplo partir de uma indústria forte e intimamente ligada as populações em tudo mundo, podem obter-se resultados entusiasmastes, no avanço das sociedades na relação com os seu principal equipamento e a partir daí levar esses comportamentos para as restantes máquinas com que se relacionam diariamente. 

A Fairphone lançou seu segundo aparelho – o Fairphone 2 – no ano passado, com um design modular e peças auto-reparáveis. Já vendeu 125 mil aparelhos e 70 mil peças de reposição.

A fabricante holandesa vai lançar, nos próximos meses, uma câmera atualizada, a empresa afirma que este é  o primeiro elemento de hardware auto-atualizável.

Num momento de franca expansão a Fairphone, está à procura de novos parceiros para fazer acordos de distribuição, a par dos já existentes como, a T-Mobile Áustria e Swisscom. Mercados conscientes das necessidades de redução de resíduos industrias. Na B!T acreditamos que há um caminho a percorrer e que não sendo tão cedo uma tendência os celulares com peças auto-reparáveis serão em breve uma necessidade. 

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor