IBM desenvolve plataforma para acelerar a transformação digital do agronegócio

CloudInovação

A representatividade do agronegócio na economia brasileira, aliada à necessidade de soluções digitais e especializadas que permitam maior eficiência e transparência ao longo de sua cadeia de valor, tornam o setor agro um campo fértil para uma revolução digital.

Para endereçar estas necessidades, a IBM Brasil anuncia o desenvolvimento da IBM AgriTech, uma plataforma aberta, neutra e agnóstica que em parceria com empresas tradicionais do agronegócio e com companhias emergentes do setor de tecnologia agrícola brasileiro, consolida dados, tecnologias e soluções capazes de resolver as demandas deste mercado.

A plataforma une tecnologias IBM, como Computação Cognitiva, Internet das Coisas, Blockchain e dados meteorológicos da Weather Company com outras soluções 100% brasileiras já reconhecidas pelas principais empresas do setor. É o caso da parceria estratégica com a AgroTools, empresa que há mais de 10 anos capta e mantém o maior banco de dados territorial do agronegócio tropical e que dispõe de uma metodologia e um motor de mapas únicos para operar na imprecisão fundiária brasileira.

Segundo o Líder de Agronegócio Digital da IBM, Luis Otavio da Fonseca, este tipo de parceria permite a criação de uma plataforma neutra.  “A IBM AgriTech viabiliza soluções de tecnologia que ajudam o agronegócio, sem intenção de beneficiar determinada indústria. Isto permite que haja confiança necessária para integrar e fazer circular, ao longo da cadeia de valor, informações que hoje estão fragmentadas. Estamos trabalhando para a criação e a manutenção de um ecossistema de parceiros essencial para o atendimento a um mercado que é diverso e complexo, ou seja, que requer soluções especializadas“, explica.

Para o CEO da Agrotools, Fernando Martins, a parceria com a IBM traz diferenciais e atrativos importantes para o mercado: “A circulação de dados e o raciocínio geo-espacial ao longo da cadeia produtiva são fundamentais para a transformação digital do campo. Estamos engajados com a IBM para construirmos uma plataforma geo-cognitiva e aberta para o agronegócio, permitindo a circulação de dados assim como a extração de insights essenciais para os diversos agentes do setor”.

A IBM AgriTech conta com competências tradicionais da IBM em termos de integração de sistemas, algoritmos analíticos e cognitivos, desenvolvimento de software e computação em nuvem, para atender clientes tanto dentro quanto fora da porteira, ou seja, desde os agentes financiadores e seguradores, até tradings e cooperativas e o produtor.  

As tecnologias que constituem a plataforma permitem tomadas de ações significativas visando a resolução de problemas históricos do agronegócio, ligados a compliance, gestão de risco, análise de imagens, seleção e planejamento de culturas e por fim, transações de crédito rural, incluindo operações de barter. Por exemplo, estas soluções podem permitir que os agentes financeiros tenham mais eficiência na atribuição e gestão do crédito rural e que as seguradoras obtenham melhorias na maneira como precificam e agregam valor a seus produtos. Já para as tradings, as tecnologias ajudam a estimar a produção e em consequência a maneira como decidem suas posições de mercado. Para os varejistas, é possível monitorar a origem dos produtos e a produtividade de seu ecossistema de fornecedores. E, finalmente, para o produtor, já é possível ter acesso a informações que permitem o aumento da sua produtividade.

De acordo com o Diretor do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil, Ulisses Mello, temos hoje a oportunidade de reinventar toda a cadeia do agronegócio através da digitalização do campo associada à computação cognitiva. “Nosso objetivo é consolidar uma plataforma tecnológica na cloud e com dados do agronegócio que hoje estão fragmentados por este ecossistema. Desta forma, fornecemos o ferramental tecnológico fundamental para o desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor e ainda teremos espaço para a construção de um marketplace global para a comercialização destas soluções. No ano em que a IBM completa cem anos no Brasil, é gratificante liderar um projeto que beneficia um dos setores mais importantes da nossa economia”, afirma Mello.

A IBM AgriTech consolidará informações públicas muitas vezes difíceis de serem encontradas e as deixará acessíveis para os usuários. Além disso, no âmbito privado, também há uma enormidade de dados disponíveis que, respeitando aspectos de confidencialidade, podem ser integrados aos dados públicos para criar uma visão holística do setor. Um exemplo, a Weather Company, empresa da IBM, dispõe de uma enormidade de sensores meteorológicos e fornece informações sobre o tempo e meteorologia. Diariamente, a companhia fornece mais de 2 milhões de previsões meteorológicas de alta resolução. Por meio da IBM AgriTech, será possível ter acesso não somente a informações sobre o tempo, mas também recomendações sobre plantio, adubação, irrigação, colheita e transporte.

Os usuários poderão acessar e contratar os serviços da IBM AgriTech on-line e pagarão o equivalente ao seu consumo, seja de dados ou soluções construídas com os recursos da plataforma. 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor