Salesforce com resultados mistos no ano fiscal de 2017

CRMe-Marketing

A provedora de soluções CRM obteve um crescimento de 26% nas receitas do ano fiscal de 2017, terminado a 31 de janeiro, atingindo US$ 8,39 bilhões. No entanto, o quarto trimestre registrou o dobro dos prejuízos quando comparado com o mesmo período do ano anterior.

Foram números mistos, sendo que a subida nas receitas não resultou em melhores resultados líquidos. No final de janeiro, a receita do trimestre foi de US$ 2,29 bilhões, um aumento de 27% ano a ano. As receitas provenientes de assinaturas e suporte totalizaram US$ 2,11 bilhões (mais 25%), e as receitas provenientes de serviços profissionais totalizaram US$ 183 milhões, um aumento de 45%.

“A Salesforce continua a entregar inovações incríveis e sucesso sem precedentes a seus clientes”, disse o CEO Marc Benioff. “Fomos pioneiros no setor ao integrar a nuvem, as mídias sociais e a tecnologia móvel ao CRM. E, agora, com nosso último lançamento, estamos disponibilizando a inteligência artificial a milhões de usuários por meio do Einstein.”

A empresa anunciou também esta semana uma parceria com a IBM no campo da inteligência artificial, que irá combinar a potência do Watson com sua plataforma Einstein.

“Conduzimos a execução de maneira impressionante durante o trimestre, entregando quase US$ 2,3 bilhões em receita”, sublinhou Keith Block, COO da Salesforce. “E, para o ano fiscal de 2018, esperamos entregar mais US$ 10 bilhões em receita — alcançaremos esse marco em tempo recorde, mais rapidamente que qualquer outra empresa de software na história. Nenhuma outra empresa de software do nosso porte cresce a este ritmo.”

Apesar do otimismo dos executivos, os investidores e analistas esperavam mais. As previsões de receitas para o primeiro trimestre de 2017 ficam abaixo do que era esperado – uma projeção de receita de US$ 2,34 bilhões a US$ 2,35 bilhões, o que significa um aumento de 22% a 23%. Ou seja, abaixo dos 30% que manteriam o mercado satisfeito. O lado positivo é que a empresa prevê reduzir seus prejuízos, passando de perdas por ação de US$ 0,07 para cerca de US$ 0,03.

Já para o ano fiscal total de 2018, a projeção de receita é de aproximadamente US$ 10,15 bilhões para US$ 10,20 bilhões, um aumento de 21% a 22% ano a ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor