Estudo global revela os maiores riscos para segurança de TI são os millennials e o GDPR

RegulaçãoSegurança

Uma pesquisa conduzida pelo Ponemon Institute, patrocinada pela Citrix e denominada “A necessidade de uma nova arquitetura de segurança de TI: Um estudo global” refere que xistem dois grandes riscos de segurança de TI para os quais as empresas precisam se preparar: os millennials e o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) quer irá entrar em vigor na Europa em 2018.

 O estudo global foi realizado com mais de 4 mil profissionais de TI na Austrália, Nova Zelândia, Brasil, Canadá, China, França, Índia, Japão, Coreia, México, Holanda, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos. O objetivo foi analisar as tendências globais nos riscos de segurança de TI e as razões pelas quais as práticas e as políticas de segurança precisam evoluir para responder às ameaças das tecnologias disruptivas, ao cibercrime e às normas estabelecidas.

Os resultados indicam que 55% dos entrevistados das áreas de segurança e negócios disseram que os millennials, nascidos entre 1981 e 1997, representam o maior risco às políticas de segurança de TI e utilizam aplicativos não aprovados no local de trabalho.

Já 33% disseram que a geração dos baby boomers, nascidos entre 1946 e 1964, é mais suscetível a ser vítima de phishing e enganos de engenharia social e 32% disseram que a geração X, nascida entre 1965 e 1980, é suscetível a evitar as políticas de segurança e utiliza aplicativos e dispositivos não aprovados no local de trabalho, como os millennials.

A pesquisa também revelou que a maioria das empresas é cética em relação à sua capacidade para cumprir os rigorosos requisitos de segurança e conformidade propostos pelo GDPR. O novo regulamento impactará em empresas de todo o mundo, incluindo todas as organizações dentro e fora da UE que compartilhem dados ou vendam produtos ou serviços à região, sendo que mais de metade (53%) dos inquiridos estão preocupados com o crescimento dos efeitos globais do GDPR.

O estudo da Citrix revelou, ainda, que 67% dos entrevistados corporativos globais estão cientes das normas do GDPR, mas apenas a metade deles começou a se preparar para cumprir essas novas regulamentações. 

Assim, 74% dos entrevistados dizem que o GDPR terá um impacto negativo significativo nas operações comerciais e 65% estão preocupados com as novas penalidades de até 100 milhões de euros ou de 2% a 4% da receita anual a nível mundial.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor