Lacuna de disponibilidade custa US$ 21,8 milhões por ano às empresas, diz pesquisa

EmpresasNegócios

A Veeam Software apresentou seu estudo Relatório de Disponibilidade Veeam 2017 que demonstra que 82% das empresas admitem sofrer uma ‘Lacuna de Disponibilidade’, a difereça entre a demanda dos usuários por acesso ininterrupto a serviços de TI e o que os negócios e a TI realmente podem entregar. Essa lacuna tem custos para as empresas, quer impactos financeiros diretos, quer indiretos, atrasando a inovação e a competitividade.

Esse é sexto ano que a Veeam publica o relatório, tendo a pesquisa sido feita pela Enterprise Strategy Group (ESG) que entrevistou mais de 1 mil líderes sênior de TI de 24 países, incluindo o Brasil, e que mostra que 69% das empresas sentem que a disponibilidade é um requisito para a transformação digital. Além do mais 66% dos entrevistados dizem que essas iniciativas estão sendo impedidas por paradas não planejadas nos sistemas, causadas por ciberataques, falhas de infraestrutura, falhas na rede e desastres naturais.

O estudo revela que, em média, as paradas nos servidores duram 85 minutos por incidente e que o custo médio anual das paradas para cada organização é de US$ 21,8 milhões, um aumento de mais de 30% em relação ao relatório do ano passado, que registrou um valor de US$ 16 milhões.

Por outro lado, as paradas afetam a reputação das empresas, quase metade dos inquiridos observam uma perda da confiança do cliente e 40% vivenciam danos à integridade da marca.

A pesquisa refere, ainda, que, embora as empresas afirmem que podem tolerar 72 minutos por ano em dados perdidos dentro de aplicações de ‘prioridade alta’, os respondentes vivenciam 127 minutos de dados perdidos. Isso coloca um grande risco para as empresas e impacta o sucesso dos negócios.

“Hoje, o imediatismo é rei e o consumidor tem tolerância zero para paradas, seja em uma aplicação de negócios ou em sua vida pessoal. As empresas estão focadas em entregar a melhor experiência de usuário e, independentemente de elas perceberem ou não, no coração disso está a disponibilidade. Qualquer coisa menos do que acesso 24.7.365 a dados e aplicações é inaceitável. Entretanto, nosso relatório afirma que tal acesso ubíquo é apenas um sonho para muitas empresas, sugerindo que novas perguntas devem ser feitas sobre planos de transformação e uma conversa diferente deve ser iniciada sobre a infraestrutura existente. As empresas estão enfrentando uma grande crise de competidores que são capazes de oferecer esse tempo de atividade e combiná-lo com a experiêcia do usuário” refere Peter McKay, Presidente e Diretor de Operações da Veeam Software

O futuro multinuvem

O relatório mostra que cada vez mais empresas estão considerando a nuvem como um local de partida viável para sua agenda digital, com o investimento em software como um serviço esperado para crescer em mais de 50% nos próximos 12 meses. De fato, quase metade dos líderes de TI (43%) entrevistados acreditam que  os fornecedores de nuvem podem entregar melhores níveis de serviço para dados de missão crítica do que seus processos internos de TI. Investimentos em Backup como um Serviço (BaaS) e Recuperação de Desastres como um Serviço (DRaaS) devem crescer similarmente conforme as organizações combinarem-os com a nuvem.

Para acessar ao Relatório de Disponibilidade Veeam 2017 completo, clique aqui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor