Sophos identifica aumento de ameaças em IoT e ransomware em 2017

Segurança
0 0 Sem Comentários

A SophosLabs, unidade de análises de dados e ameaças da Sophos, publicou um relatório de malware com previsões para 2017 em que aponta que as tendências são de ataques a dispositivos com sistemas operacionais da Microsoft, mas lança o alerta para a expansão de ameaças dirigidas MacOS, Android, Linux e Internet das Coisas (IoT).

Essas são as quatro tendências de 2016 e vão continuar a representar o maior conjunto de ameaças, também, em 2017:

1. Malware via Linux que exploram vulnerabilidades dos dispositivos IoT

Com o crescimento da utilização do Linux nos últimos anos, os criadores de malware estão escolhendo esse sistema operacional para direcionar e infectar todos os tipos de dispositivos IoT, que incluem webcams e aparelhos domésticos que se conectam à internet. As senhas padrão, as versões desatualizadas do Linux e a falta de criptografia continuarão fazendo com que esses dispositivos estejam vulneráveis a ataques.

2. Aumento de malware em Android

O relatório aponta as 10 principais famílias de malware que têm como alvo dispositivos Android, sendo o mais abrangente Andr/PornClk que represeta 20% dos ataques detetados pela empresa. O malware aproveita o privilégio da raiz, solicitando “administração do dispositivo Android” e faz o download de Pacotes de Aplicativos do Android (APKs). Em seguida coleta informações como ID do dispositivo, número de telefone e outros dados confidenciais.

3. Malware para MacOS que espalha aplicativos potencialmente indesejados (PUA)

O malware para MacOS é projetado para executar um código de roubo de senha, incluindo ransomware como OSX / KeRanger-A e uma variedade de adware mal-intencionado. Embora apresente menos infecções por malware e ransomware do que o Windows, o MacOS sofreu sua parcela de ameaças em 2016, e se espera que essa tendência continue.

4. Malware Microsoft Word Intruder

Esse é um dos kits de malware baseados no Windows que têm como alvo o Word. É importante ressaltar que o Microsoft Word Intruder agora está expandindo seus horizontes para o Adobe Flash Player.

O relatório completo pode ser acessado aqui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor