Brasil foi o quarto país com maior adoção LTE da América Latina em 2016

MobilidadeRedes

Os dados do índice 5G Americas de Penetração LTE na América Latina indicam que no quarto trimestre (4T) de 2016 a penetração LTE aumentou 8,3 pontos percentuais em relação ao segundo trimestre (2T) de 2016, quando foi registrada uma penetração da LTE na população de 14,18%. De modo que, a penetração destas assinaturas na população da região chegou a 22,5% no final do período.

Somente cinco mercados exibiram níveis de penetração da LTE superiores aos da América Latina enquanto região: Uruguai, Argentina, Chile, Brasil e Costa Rica. Isto não deve ser interpretado como um baixo nível de adoção em outros mercados, assim como demonstra o crescimento da LTE registrado em países como México, Panamá, Colômbia e Equador, durante o segundo semestre de 2016.

A 5G Americas identifica como importantes os pilares de crescimento da LTE na região, que possui a maior cobertura desta tecnologia, e os incentivos que ocorrem em alguns mercados pela disponibilidade para utilizar as frequências que estão sendo liberadas pelo dividendo digital, 700 MHz, permite expandir a cobertura da tecnologia para áreas suburbanas e rurais. Esta cobertura ampliada, em conjunto com uma maior quantidade de usuários com dispositivos capazes de conectarem-se à tecnologia, têm contribuído para um uso mais amplo da LTE.

Indiscutivelmente, o Uruguai continua como líder na adoção da LTE na América Latina, com uma penetração de 79,6% desta tecnologia no mercado. No entanto, esta liderança em LTE ainda não migrou para serviços de LTE-A, que ainda não são oferecidos comercialmente neste mercado. A 5G Americas acredita que a alta capilaridade da fibra óptica, em conjunto com um perfil de usuário inclinado a adotar rapidamente novas tecnologias apresentam um mercado favorável para a rápida adoção da LTE-A, uma vez que estiver disponível comercialmente.

Em paralelo, a Argentina continuou seu rápido crescimento da LTE, superando o Chile com o segundo mais alto nível de penetração desta tecnologia de mercado na região. Maior número de dispositivos capazes de conectar a LTE servem para explicar o sucesso da tecnologia neste mercado.

No mesmo período, o Chile foi classificado em terceiro lugar regional com uma penetração LTE de 30,8% (ganho de 4,4 pontos percentuais). O Brasil e o México foram posicionados no índice em quarta e quinta colocações, atingindo 28,9% e 21% de penetrações LTE, respectivamente. Um aumento de mais de 10 pontos percentuais entre o 2T e o 4T de 2016.

LTE

 

A Bolívia foi o único mercado que registrou uma variação negativa na penetração da LTE entre o 2T e o 4T de 2016, saindo assim das primeiras colocações da classificação. O Paraguai caiu três posições em relação ao 2T de 2016 e registrou uma das taxas de crescimento LTE mais baixas.

Além do Uruguai, seis mercados mantiveram seus lugares no índice (Venezuela, República Dominicana, Honduras, Guatemala Nicarágua e El Salvador) reportando assim algumas variações em pontos percentuais de penetração LTE menores do que a mostra. Desses mercados, El Salvador apresenta o caso de desenvolvimento LTE mais recente registrado no último trimestre de 2016.

O Índice 5G Americas de Penetração da LTE foi elaborado pela 5G Americas com informações estatísticas fornecidas pelas consultorias 451 Research, Carrier & Asociados, ITC SA, Ovum, Teleco e The Competitive Intelligence Unit – The CIU (México), e dados da população da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL).  


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor