Frota de veículos autônomos será testada entre Oxford e Londres em 2019

EmpresasInovaçãoNegócios

Oxbotica, empresa de inteligência artificial com sede em Oxford, anunciou que está liderando o consórcio de empresas DRIVEN para o desenvolvimento de veículos sem motorista e que tem planos de teste na estrada já em 2019.

O consórcio DRIVEN envolve também as seguintes empresas: Oxford Robotics Institute, a re/seguradora XL Catlin, a Nominet, a Telefonica O2 UK, a TRL, a RACE da Autoridade de Energia Atômica do Reino Unido, o Oxfordshire County Council, a Transport for London e a Westbourne Communications.

O projeto se beneficia de recursos de £ 8,6 milhões (cerca de R$ 35 milhões) concedidos pelo Centro de Veículos Conectados e Autônomos, entregues por meio da Innovate UK. e quer implantar uma frota de veículos totalmente autônomos em áreas urbanas e em autoestradas, culminando com uma viagem de Londres a Oxford.

A ideia é que os veículos operarão no nível 4 de autonomia, ou seja, têm a capacidade de executar todas as funções críticas de segurança para a condução e o monitoramento das condições de estrada para uma viagem inteira, sem a ocupação de passageiros.  De acordo com a empresa, nunca antes foram realizados testes em estrada com veículos conectados e autônomos com esse nível de complexidade.

O consórcio engloba empresas de vários setores para ser o mais abrangente possível e assim detetar e quebrar todas as barreiras, quer tecnológica, quer legais para a produção e comercialização veículos autônomos.  De acordo com o release, serão abordados desafios em diversas áreas como comunicação e compartilhamento de dados entre veículos conectados, modelagem de seguros de veículos conectados e autônomos, cibersegurança, entre outros.

A frota é constituída por seis veículos intercomunicáveis equipados com a plataforma Selenium da Oxbotica. Ela permitira que o carro tenha consciência de onde está, o que o rodeia e de como se deve mover para realizar uma tarefa.

“As notícias de hoje são verdadeiramente inovadoras. Nenhuma empresa, grupo ou consórcio de especialistas em autonomia veicular jamais tentou o que o DRIVEN está planejando nos próximos 30 meses. Estamos tentando resolver alguns dos desafios mais importantes que impedem a futura implantação comercial de veículos totalmente autônomos. Tenho plena confiança na equipe líder mundialmente reconhecida e especializada do DRIVEN para realizar este projeto”, afirmou Dr. Graeme Smith, Diretor Executivo da Oxbotica.

Já o chefe do Oxford Robotics Institute, da Universidade de Oxford, e um dos fundadores da Oxbotica, Paul Newman, disse que “o DRIVEN é a primeira iniciativa deste tipo e traz uma série de novas perguntas em torno da forma como estes veículos se comunicam uns com os outros. Estamos nos deslocando do veículo autônomo isolado para frotas de veículos autônomos – e o que é interessante para nós no Oxford Robotics Institute é quais dados os veículos compartilham uns com os outros, quando e por quê.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor