Notebooks e tablets serão chave para crescimento de mercado de computação pessoal em 2019

EscritórioPC

As vendas mundiais de computadores pessoais (PCDs), devem registrar queda, saindo de 435 milhões de unidades vendidas em 2016 para 405,2 milhões em 2021, de acordo com previsão feita pela IDC. Isso representa uma taxa de queda anual composta de 1,4% em cinco anos.

PCDs englobam dispositivos como PCs tradicionais, notebooks, workstations e tablets (tradicionais e destacáveis).

Ainda assim, a expectativa é de que haja um modesto crescimento em 2019 para a categoria como um todo.

A consultoria ressalta que o volume de desktops continuará a cair à medida que consumidores mudam para outras plataformas, enquanto o volume de notebooks crescerá modestamente, impulsionado pelo mercado comercial e um movimento constante em direção a modelos ultraslim e portáteis 2em1.

“Embora as entregas tradicionais de PCs venham a diminuir ligeiramente no final da previsão, o aumento das substituições e o crescimento mais estável em regiões emergentes manterão o crescimento comercial positivo e manterão as vendas anuais totais acima de 252 milhões ao longo da previsão”, afirma Loren Loverde, vice-presidente da Worldwide Personal Computing Device Tracker and Tracker Forecasting da IDC.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor