Pesquisa da Adobe revela que robôs no trabalho são vistos de forma positiva

EmpregoGestãoInovação

Como será o ambiente de trabalho do futuro? As pessoas irão ao escritório em seus carros voadores? Robôs substituirão os seres humanos nos postos de trabalho? Foram com essas dúvidas que a unidade de inteligência Adobe Digital Insights analisou 3 milhões de menções em inglês, na internet (Twitter, blogs, fóruns), para saber o que as pessoas pensam sobre o assunto, resultando no levantamento Future of Work.

Dentre as principais constatações da pesquisa, os dados mostram que, ao contrário da crença popular, a maioria das pessoas afirma que os robôs estão ajudando no ambiente de trabalho ao realizar as atividades operacionais, o que deixa mais tempo livre para que os colaboradores possam concentrar-se nas ações mais estratégicas e criativas.

Ainda que algumas menções expressaram preocupação sobre como robôs e automação podem impactar negativamente o trabalho – a maioria dos dados mostra que as pessoas acreditam que essas tecnologias proporcionam economia de tempo (30%) e análise de dados (25%). “Esse estudo da Adobe traz elementos que mostram que o receio de que máquinas podem fazer tudo sozinhas é muito menor em comparação aos benefícios que o avanço tecnológico já trouxe.

Nessa união entre homem e máquina, os trabalhadores estão enxergando que a tecnologia não substitui o lado estratégico e criativo, que é essencialmente humano, e sim abrindo espaço para que deixemos de fazer operações repetitivas”, analisa Federico Grosso, vice-presidente da Adobe para América Latina.

People Analytics

O Future of Work aponta também que até as áreas mais voltadas às ciências humanas são as que, recententemente, passaram a incorporar grandes volumes de dados que ajudam na tomada de decisões: é o chamado People Analytics, que utiliza uma gama de informações relacionadas à pessoa para melhorar todos os níveis de negócio de uma empresa. De acordo com o estudo da Adobe, RH (44%) e Gestão (18%) lideram os tópicos de discussão sobre People Analytics. “A ideia de usar o analytics para recrutar, melhorar o gerenciamento, substituir avaliações de desempenho e melhorar ambientes de trabalho é algo inerente ao futuro do trabalho. Os dados disponíveis devem ser usados não somente a serviço do marketing e para a performance do negócio, mas também internamente com os colaboradores, que são os responsáveis por fazer a máquina funcionar”, afirma Grosso.

Motivações dos trabalhadores

Com relação aos desejos dos colaboradores, o levantamento mostra que flexibilidade é a motivação fundamental para os funcionários. Podemos também ver mais pessoas se movendo em direção a essa jornada flexível no tipo do contrato e caminhando para a “Gig Economy” (tipo de mercado que contempla os trabalhos freelancers, em que as empresas contratam os trabalhadores para serviços pontuais e ficam isentas das obrigações CLT, como número de horas trabalhadas), que teve três vezes mais menções na comparação ano-a-ano.

Meios de transporte

Quanto ao transporte, Hyperloop e carros autônomos são a forma como os trabalhadores sonham se locomover até a empresa, com 1,1 milhão de menções positivas em 2016. O Hyperloop e sua aparência e a velocidade espacial tiveram 50% mais sentimento positivo do que o ônibus e 2 vezes mais sentimentos positivos do que os táxis. Tesla, BMW, Ford, Volvo e GM são as cinco principais marcas relacionadas aos carros autônomos.

Acesse o estudo completo aqui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor