Accenture e Microsoft usam blockchain em projeto em prol de refugiados

HOME

A Accenture e a Microsoft se uniram em uma causa apoiada pelas Organização das Nações Unidas (ONU). As empresas estão trabalhando em conjunto em um projeto que utiliza blockchain para ajudar a identificar refugiados.

A ideia é que, com a tecnologia, cerca de 1,1 bilhão de pessoas possam ser identificadas legalmente e, dessa forma, garantir acesso a serviços básicos como cuidados com a saúde e educação.

O blockchain, no caso, será usado para conectar diversos sistemas de organizações do mundo, interligando-os. Dessa forma, refugiados que deixaram suas identidades para trás, poderão ter acesso a registros novamente e, assim, conseguir novas identidades.

O protótipo da iniciativa foi apresentado durante reunião da cúpula do ID2020, que aconteceu na segunda-feira, em Nova York, e contou com a ajuda da Avanade para ser desenvolvido.

O ID2020 é um consórcio que trabalha com o objetivo de, até 2030, conseguir fornecer identificação legal para pessoas espalhadas pelo globo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor