Elon Musk abandona Trump depois de anúncio da saída dos EUA do Acordo de Paris

GestãoInovaçãoLegislaçãoProjetosSetor PúblicoTecnologia Verde

O CEO da Tesla anunciou que vai deixar de ser conselheiro de Donald Trump.

Musk escreveu na sua pagina de twitter, “Vou deixar de ser de conselheiro presidencial. As alterações climáticas são reais. Deixar Paris não é bom para a América nem para o do mundo.”

O presidente dos Estados Unidos anunciou esta quinta-feira (1 de junho) que vai retirar o país do acordo global para a redução de emissões poluentes. Com argumentos de que sair do Acordo de Paris é proteger a América e os seus cidadãos, os Estados Unidos classificam o acordo como “uma redistribuição maciça da riqueza dos EUA por outros países”. “Eu não posso apoiar um acordo que pune os Estados Unidos, que é o que este faz”, disse Trump.

O presidente Trump deu ainda como exemplo a Índia, justificando  a “injustiça” do acordo: “A Índia pode dobrar a produção de carvão até 2020. Pensem nisso”.

No entanto, Elon Mus fez questão de lembrar que a Índia tem o compromisso de já em 2030 só vender carros elétricos e que atualmente já é o maior produtor de energia solar. 

As coisas complicam-se para Trump, no que diz respeito ao apoio dos empresários que definem tendências para o mundo dos negócios, com a saída do CEO da Uber em fevereiro de conselheiro presidencial e agora Musk a bater também com a porta.

 
 

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor