Entrevista da Semana|”A TOTVS está pensando não só na camada de apresentação, estamos focados na melhoria de toda a cadeia…”

EmpresasERPFinançasGestãoNegóciosSoftware

A TOTVS está desenvolvendo funcionalidades e soluções que facilitam a vida de quem trabalha em uma instituição financeira e de quem usa esses serviços. A companhia brasileira levou algumas novidades ao CIAB FEBRABAN 2017, que aconteceu a semana passada no Transamérica Expo Center, em São Paulo. A B!T magazine conversou com David Terra, diretor do Segmento de Financial Services da TOTVS.

Tendo como foco os projetos de descomplicação de serviços financeiros, como por exemplo, o crédito pessoal. A companhia brasileira aposta nos serviços, posicionando-se no setor bancário como uma  Fintech.  A TOTVS está investindo na área para proporcionar a este setor tecnologias tão simples quanto as das fintechs, uma transformação digital que engloba todo o ecossistema, colaboradores e clientes.

João Miguel Mesquita (JMM): Quais as grandes diferenças do mercado em um ano? O que amadurece​u​ e o que ficou para trás?

David Terra: No último ano, não surgiu nenhuma nova grande disrupção ou tecnologia que já não existisse. A grande diferença de 2016 para cá é que os bancos e a TOTVS estão experimentando as novas tecnologias, implementando e validando. Enfim, vendo o que traz mais ou menos ganho​. Porém, nem sempre uma nova tecnologia, como por exemplo o blockchain, é aplicada no início, tem um período de aprendizado, implantação, ajustes das aplicações, para que elas comecem a funcionar baseadas nas novas tecnologias. A maior mudança é isso, a evolução da utilização do que existia há um ano. No setor bancário, temos muito disso, os grandes bancos estão lançando os seus bancos digitais, mas eles estão baseados na estrutura original. Então, ainda continua o mesmo backoffice, o produto financeiro rodando como era antes – uma modernização lenta e gradual –  e as novas tecnologias sendo colocadas no front, mas são tecnologias que já existiam que estão sendo implementadas e validadas.

JMM: Quais os principais requisitos que um ERP tem de ter prontos a entregar para este setor?

David Terra: Quando eu falar de ERP, vou considerar o de core bancário, de ponta a ponta, não só o ERP como a gente conhece tradicionalmente – contas a pagar e contas a receber, mas software que atende a tudo que um banco precisa, desde o básico (contas a pagar e a receber), passando pela conta corrente, cartão de crédito, investimentos, ATMs, internet banking, mobile banking, ou seja​,​ tudo. O que um sistema como esse precisa entregar? A primeira coisa é ser uma plataforma aberta, tem que ter APIs ou web services, mas precisa ser facilmente integrado com diversas outras coisas. Hoje, não é mais possível vivenciar apenas o que está dentro do banco, é necessário estar pronto ou muito próximo de integrar com soluções que estão fora do banco. A​​ TOTVS tem desenvolvido diversas iniciativas nesse aspecto​,​ porque assim como ​estamos em diversas instituições financeiras, ​milhares de empresas ​também usam o nosso ERP. Estamos trabalhando para levar uma coisa para dentro da outra, ou seja​,​ como levar a empresa para dentro ​do ​banco e vice​-versa, de uma forma automatizada. Esse é o grande desafio, integrar tudo da melhor forma.

JMM: Que melhorias específicas for​a​m introduzidas nos produtos TOTVS para atender a modernização [transformação digital] do setor bancário?

David Terra: ​A TOTVS está pensando não só na camada de apresentação, estamos focados na melhoria de toda a cadeia (interna e externa), de ponta a ponta, e como as coisas estão sendo integradas, como a gente pode melhorar o desempenho e a eficiência operacional, como unificar mais rápido e mais fácil. Estamos apostando em um projeto de descomplicação de serviços financeiros, como por exemplo, o crédito pessoal. A ideia é proporcionar ​às empresas facilidades do banco dentro do ERP e tornar possível contratar um empréstimo bancário sem sair do software de gestão que administra a empesa. Outra novidade é o protótipo de um aplicativo a ser integrado nativamente ​ao AMPLIS, plataforma para gestão de fundos de investimentos​ da TOTVS​. A novidade vai facilitar a visualização de relatórios e dados das carteiras de investimentos operadas, tudo muito simples e intuitivo.

JMM: Com um conhecimento amplo do mercado pode nos dizer comparativamente a outros setores, qual o ritmo de transformação digital do setor bancário? E quais as principais áreas dentro dos bancos que são prioridade para essa transformação digital?

David Terra: A transformação digital está acontecendo em todos os setores, indistintamente. A gente pode falar de coisas espetaculares na agriculta, saúde, varejo, em todo os setores. Estamos passando por um momento de disrupção total em tudo o que pensamos até o hoje. O setor financeiro acompanha esse movimento e ele é uma grande empresa de tecnologia, que o produto é dinheiro. Toda e qualquer tecnologia de ponta ou nova est​á sendo testada e validada pelos bancos. Só que isso exige um tempo de maturação, mesmo porque tem a questão de segurança, ​porém, o setor não está nem atrás, nem a frente​ dos outros​. A transformação digital é geral. Todas as áreas são prioridade, do atendimento ao cliente até a contabilidade. A transformação digital é igualmente importante em toda a cadeia, de ponta a ponta. Existem coisas que ninguém imagina que existe dentro de um banco, mas que são extremamente complexas e pode​m​ ter uma transformação digital gigantesca – um exemplo são os departamentos jurídicos que estão investindo em inteligência artificial. Ou seja​,​ os banco estão apostando não só no que os clientes veem. ​Diante disso, a TOTVS trabalha para levar a transformação digital para todas as áreas das instituições financeiras. O que mais aparece é o que mais visível (app), mas as outras não são menos importantes.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor