Microsoft, Google e Baidu se unem para desenvolver pesquisas em inteligência artificial

CiênciaInovação

A Microsoft, o Google, a Baidu e a Gates Foundation, em conjunto com o instituto de pesquisas Allen Institute for Artificial Intelligence se uniram para criar uma coalisão em prol do desenvolvimento de esforços para ajudar acadêmicos e pesquisadores científicos no desenvolvimento da tecnologia.

A iniciativa ganhou o nome de Open Academic Search e tem como principal objetivo envolver empresas, institutos e organizações sem fins lucrativos para tornar suas ferramentas de análise open-source ou disponíveis de forma gratuita para esses grupos científicos ajudados. O projeto também quer capacitar pesquisadores, médicos e professores para que eles possam tirar proveito das últimas descobertas em inteligência artificial.

O Allen Institute for Artificial Intelligence quer que as pesquisas acadêmicas no ramo possam se tornar um esforço colaborativo. “Para nós é um call to action dizer ‘ei, vocês não têm nada a perder e tudo a ganhar ao colocar algumas dessas ferramentas de forma aberta e trabalharmos nisso juntos. É uma situação de ganha-ganha”, comenta Oren Etzioni, CEO do Instituto.

Como a evolução tecnológica está cada dia drasticamente mais rápida, é um desafio para a comunidade acadêmica acompanhar o passo – e o esforço em conjunto ajudaria a endereçar essa questão.

Nesse sentido, o Allen Institute possui uma ferramenta chamada de Semantic Scholar, que utiliza IA para encontrar estudos e tópicos mais relevantes e citações mais interessantes. A solução, alimentada com IA, também é treinada para fornecer um panorama de algum tópico.

A Microsoft, por sua vez, possui a Microsoft Academic, uma solução treinada para ler produções de 50 mil diferentes campos de interesse. Além disso, a empresa também está trabalhando em conjunto com a Universidade de Tsinghua, na China, para ajudar a identificar autores de trabalhos que possuem o mesmo nome (o que é bastante comum no campo da pesquisa na região da Ásia) e separar um de outro.

O Google contribui para o projeto com o Google Scholar, o qual fornece pesquisa para estudos; assim como o Baidu Scholar – um tipo de versão da ferramenta da gigante de Mountain View e que é a mais utilizada na China. No futuro, a Baidu também se comprometeu a liberar alguns metadados e dados de comportamento de usuários do Scholar para que sejam estudados e implementados.

Por fim, os esforços aplicados ao projeto ajudarão a Fundação Bill e Melinda Gates em relação a fornecimento de informação para pesquisadores da instituição ou qualquer outro interessado. Vale lembrar que a Fundação de Gates já possui uma política aberta de dados sobre pesquisas de saúde mental feitas pela instituição.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor